Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
FCUP
Você está em: Início > Notícias > Tecnologia da U.Porto deteta antibióticos em águas ambientais com o telemóvel
Autenticação




Mapa das Instalações
FC6 - Departamento de Ciência de Computadores FC5 - Edifício Central FC4 - Departamento de Biologia FC3 - Departamento de Física e Astronomia e Departamento GAOT FC2 - Departamento de Química e Bioquímica FC1 - Departamento de Matemática

Informações

Tecnologia da U.Porto deteta antibióticos em águas ambientais com o telemóvel

Docente do DCC, Hélder Oliveira, integrou equipa do projeto


Hélder Oliveira, docente do Departamento de Ciência de Computadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e investigador do INESC TEC – Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência, ajudou a desenvolver uma solução que permite, com recurso a um telemóvel, avaliar a contaminação por antibióticos, em tempo real, nas águas ambientais. 

A tecnologia, que surgiu no âmbito do projeto S-MODE – Screening of antibiotic contamination by mobile devices, contribuirá igualmente para a monitorização e proteção dos ecossistemas. No projeto participaram também o LAQV-REQUIMTE, a Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto (FFUP) e o Instituto de Ciências Biomédica Abel Salazar (ICBAS). 

Conforme explica o docente da FCUP, esta tecnologia combina uma aplicação móvel, compatível com os sistemas Android e iOS, e um algoritmo de processamento de imagem baseado em machine learning que, incorporado no telemóvel, permite avaliar a contaminação por antibióticos.

Além disso, a utilização de técnicas de visão computacional, para recolha e análise de imagens no terreno, associadas à possibilidade de obter a localização geográfica, graças ao uso de dispositivos móveis, possibilita a elaboração de um mapeamento imediato dos locais onde decorreu a colheita da amostra. 

“Será possível fazer uma avaliação em tempo real da contaminação de recursos aquíferos, permitindo também a monitorização da descarga de efluentes, por exemplo, a partir de estações de tratamento”, esclarece Hélder Oliveira. A solução, acrescenta, pode, desta forma, “ser encarada como uma garantia de proteção dos ecossistemas, considerando os baixos limites de deteção, na ordem do micrograma por litro, que serão atingidos”.  

Ainda em fase de protótipo, mas já demonstrada em ambiente real, esta tecnologia desenvolvida no âmbito do projeto S-MODE, que contou com um orçamento de quase 240 mil euros e o cofinanciamento do programa Compete 2020 e FCT – Fundação para a Ciência e Tecnologia.


Ler a notícia completa no portal Notícias U.Porto


inesctec-smode











Divulgue os seus eventos e projetos | comunica@fc.up.pt  


Renata Silva. SICC. 15-03-2022

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2022 © Faculdade de Ciências da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Última actualização: 2013-10-23 I  Página gerada em: 2022-06-25 às 14:47:47 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais | Denúncias