Saltar para:
Logótipo
Você está em: Início > Notícias > Alumna da FCUP leva cientistas de volta à escola
Mapa das Instalações
FC6 - Departamento de Ciência de Computadores FC5 - Edifício Central FC4 - Departamento de Biologia FC3 - Departamento de Física e Astronomia e Departamento GAOT FC2 - Departamento de Química e Bioquímica FC1 - Departamento de Matemática

Alumna da FCUP leva cientistas de volta à escola

Iniciativa foi lançada no Dia Internacional da Literacia


Esta quarta-feira, dia 8, Dia Internacional da Literacia, foi lançado pela alumna da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), Joana Moscoso, o @ Cientista Regressa à Escola, um programa educativo que visa combater a baixa literacia científica e a desigualdade de acesso à Ciência

Licenciada em Biologia pela FCUP, Joana Moscoso criou, com o apoio da U.Porto, esta iniciativa que assenta numa premissa tão simples quanto inovadora: "dar às alunas e aos alunos do 4.º ano de escolaridade a oportunidade, única e inesquecível para muitas/os, de conhecerem e interagirem de perto com um/a cientista". 

Na prática, o foco passa por “aproximar crianças e cientistas, promovendo o regresso destes à sua escola primária, à sala de aula onde aprenderam o ABC e o 1+1 são 2”. Para o efeito, cada cientista participante é desafiado a visitar a sua escola primária durante um dia inteiro e partilhar, de forma lúdica e interativa, conceitos científicos relacionados com o seu trabalho.

Objetivo: levar a ciência aos finalistas do 1º ciclo do ensino básico

Ao criarem este programa, Joana Moscoso e as restantes fundadoras do projeto (Joana Bordalo e Matilde Gonçalves) assumem como objetivos fomentar a literacia e a cultura científica na sociedade portuguesa, aproximando ao mesmo tempo a ciência da sociedade e ancorando o projeto a conceitos tão importantes como a humanização da ciência e a educação circular.

“Há estudos e relatórios que indicam que muitas alunas e alunos perdem o interesse pela ciência ou catalogam a ciência como “difícil” muito cedo no seu percurso escolar, por volta dos 10 e os 12 anos. Por isso, queremos levar a ciência aos finalistas do 1º ciclo do ensino básico”, explica Joana Moscoso.

“O objetivo é que alunas e alunos sintam a utilidade e a relevância da ciência desenvolvida por pessoas que já foram crianças ‘como elas e eles’ e ‘até’ frequentaram a mesma escola”, acrescenta a investigadora e cofundadora da Native Scientist,

@ Cientista Regressa à Escola surge, aliás, na sequência da expansão desta empresa sem fins lucrativos criada em 2013, no Reino Unido, por Joana Moscoso e outra investigadora portuguesa. A missão da Native Scientist passa por criar pontes entre crianças e cientistas, reduzir desigualdades e promover o ensino superior.
 

bact
© Raquel Balsa | Ver aqui como participar



Sobre Joana Moscoso

joanamoscoso
© DR

Natural de Valença, Joana Moscoso licenciou-se em Biologia pela FCUP em 2007. No último ano do curso partiu para a Universidade de Umeå, na Suécia, onde realizou o estágio final ao abrigo do programa Erasmus. Iniciava assim um percurso internacional que, em 2008, a levaria até à Australian National University, em Camberra (Austrália). Em 2009, ingressou no Imperial College (Londres), onde completou o doutoramento (2013) e se especializou no estudo de bactérias.

Por terras britânicas, Joana Moscoso destacou-se desde cedo na organização de eventos e atividades direcionadas para a divulgação científica no âmbito do MRC Centre for Molecular Bacteriology and Infection, tendo colaborado ainda na PARSUK, uma rede de investigadores e estudantes portugueses no Reino Unido. Em 2013, em conjunto com outra investigadora portuguesa, fundou a «Native Scientist», uma empresa sem fins lucrativos que usa a ciência como veículo para a aprendizagem de línguas e cujo público-alvo são crianças dos 7 aos 12 anos.

Em 2016, e já com vários prémios no currículo (entre os quais o «Microbiology Outreach Award» da Society for General Microbiology, ou o «Estabilished Researcher Prize» da Royal Society of Biology), Joana Moscoso conquistou uma Marie Sklodowoska-Curie individual fellowship que lhe permitiu regressar ao Porto e à Universidade, mais concretamente ao i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde. Ali, desenvolveu, durante dois anos, o seu segundo projeto de pós-doutoramento, focado no estudo da bactéria Listeria.

Durante este período, foi reconhecida com o prémio «MIT Innovators Under 35»  – categoria “Humanitarians” – pelo trabalho em comunicação de ciência desenvolvido através da Native Scientist.
Mais recentemente, o percurso de Joana Moscoso está ligado a iniciativas como a Chaperone, uma plataforma de aconselhamento de carreira direcionada especialmente para cientistas da qual é cofundadora, ou as Cartas com Ciência, um projeto internacional de combate às desigualdades na educação em ciência, destinado a crianças e jovens entre os 11 e os 18 anos.





Ler notícia completa no portal Notícias U.Porto









Divulgue os seus eventos e projetos | comunica@fc.up.pt   



Renata Silva. SICC. 09-09-2021
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2022 © Faculdade de Ciências da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Última actualização: 2022-07-18 I  Página gerada em: 2022-09-30 às 13:07:19 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais | Denúncias