Saltar para:
Logótipo
Você está em: Início > Notícias > Gömböc: Um sempre-em-pé homogéneo oferecido à FCUP
Mapa das Instalações
FC6 - Departamento de Ciência de Computadores FC5 - Edifício Central FC4 - Departamento de Biologia FC3 - Departamento de Física e Astronomia e Departamento GAOT FC2 - Departamento de Química e Bioquímica FC1 - Departamento de Matemática

Gömböc: Um sempre-em-pé homogéneo oferecido à FCUP

Objeto chegou esta semana


Chegou esta semana pelo correio ao departamento de Matemática da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), para surpresa do docente José Carlos Santos. Este professor, que escreveu um artigo sobre o Gömböc para a revista Gazeta da Matemática, em março deste ano, não esperava que o engenheiro civil, Gábor Domokos, autor deste objeto, fosse oferecer à instituição um exemplar deste sempre-em-pé. 

Mas afinal o que é o Gömböc e o que tem de especial? “Um sempre-em-pé é um objeto que, pousado numa superfície horizontal e numa determinada posição, fica sempre da mesma maneira”, explica José Carlos Santos. “Esta propriedade do sempre-em-pé deve-se ao facto de a sua massa estar quase toda concentrada junto da base”, podemos ler no artigo que publicou. A diferença é que Gömböc é feito com um material homogéneo. 

“O autor viu o artigo, enviou-me um e-mail a perguntar se eu era o autor e disse-me que tinha todo o gosto em oferecer-me um exemplar”, conta. “Ele teve o trabalho de ver em que ano é a FCUP foi fundada, em 1911, mas, infelizmente, o exemplar com esse número já tinha sido atribuído. Teve então o cuidado de ver as escolas mais antigas que deram origem à Universidade do Porto e o número 1836, ano em que foi criada a Escola Médico Cirúrgica, estava disponível”. A cada objeto é atribuído um número e, no Gömböc oferecido à FCUP, ficou gravado esse ano. 

Agora, o Gömböc está à vista no departamento de Matemática, juntamente com um certificado emitido pelo autor.

Os desafios do Gömböc

“Gömböc”, que se pronuncia “gombetz”, é um diminutivo de “gömb”, que significa “esfera” em húngaro. 

“É possível provar que um tal corpo tem, além do ponto de equilíbrio estável, pelo menos um ponto de equilíbrio instável. E isto leva a um novo desafio: será possível construir um corpo monostático com um único ponto de equilíbrio instável? Um tal objeto vai ser designado por “corpo mono-monostático””, lê-se no artigo de José Carlos Santos.

Gábor Domokos foi desafiado, em 1995, pelo matemático russo Vladimir Arnold a saber se existia algum corpo mono-monostático. Juntamente com o seu aluno de doutoramento Péter Várkonyi, conseguiu, apenas 2006, demonstra-lo com a criação do Gömböc. 

gombok
© SICC.RS






Divulgue os seus eventos e projetos | comunica@fc.up.pt  



Renata Silva. SICC. 01-07-2021
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2022 © Faculdade de Ciências da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Última actualização: 2022-07-18 I  Página gerada em: 2022-10-04 às 02:13:31 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais | Denúncias