Saltar para:
Logótipo
Você está em: Início > Notícias > Prémio de melhor poster em conferência internacional atribuído a estudante da FCUP
Mapa das Instalações
FC6 - Departamento de Ciência de Computadores FC5 - Edifício Central FC4 - Departamento de Biologia FC3 - Departamento de Física e Astronomia e Departamento GAOT FC2 - Departamento de Química e Bioquímica FC1 - Departamento de Matemática

Prémio de melhor poster em conferência internacional atribuído a estudante da FCUP

Mestrado em Física Médica



Sara Freitas, estudante de mestrado em Física Médica na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), conquistou o prémio de melhor poster numa das maiores conferências internacionais de magnetismo, a InterMag 2021, que se realizou recentemente online.

Atualmente a fazer investigação no Instituto de Física de Materiais Avançados, Nanotecnologia e Fotónica (IFIMUP), sob orientação dos investigadores João Horta Belo e Célia Sousa, Sara Freitas está a trabalhar na produção e otimização de nanoestruturas da liga metálica à base de ouro e ferro. 

O objetivo é que as nanoestruturas possam depois ser inseridas na corrente sanguínea no combate às células tumorais. “Estas nanoestruturas já são produzidas, mas há muito pouco trabalho feito nesta área e necessitamos de mais informação sobre o formato e a quantidade de ferro e de ouro estas necessitam para funcionar”, explica o orientador João Horta Belo.

"Conquistar este prémio é sem dúvida algo muito motivador principalmente por ter entrado neste mundo (da investigação) recentemente. Tenho sem dúvida de agradecer o voto de confiança e ajuda dos meus orientadores e de todas as pessoas que contribuíram para este trabalho porque sem eles não teria conquistado este prémio que me traz bastante visibilidade enquanto uma jovem cientista", conta Sara Freitas. 

Porquê o ouro e o ferro?

Os investigadores estão a usar estes dois materiais pela sua capacidade de absorver o calor, podendo eliminar as células cancerígenas através de um fenómeno designado por hipertermia, ou seja, o sobreaquecimento das células. Enquanto o ouro gera calor através da absorção de radiação infravermelha, o ferro gera calor quando sujeito a um campo magnético alternado (estímulo idêntico ao usado no processo da ressonância magnética). Através da mistura dos dois elementos numa só nanoestrutura pretende-se tirar partido da sinergia dos dois efeitos, maximizando a sua capacidade de aquecimento e consequentemente o seu efeito terapêutico.


sara









Divulgue os seus eventos e projetos | comunica@fc.up.pt  



Renata Silva. SICC. 06-05-2021



Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2022 © Faculdade de Ciências da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Última actualização: 2022-07-18 I  Página gerada em: 2022-10-04 às 01:43:20 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais | Denúncias