Saltar para:
Logótipo
Você está em: Início > Cursos/CE > CNUP > Informação para Candidatos

Licenciatura em Ciências da Nutrição

Dados Gerais

Código Oficial: 9554
Sigla: CNUP
Descrição: A licenciatura em Ciências da Nutrição desenvolveu-se a partir do Curso de Nutricionismo da Universidade do Porto, criado em 1976. A licenciatura foi aprovada inicialmente em 1987 e a atual estrutura curricular, adaptada ao processo de Bolonha, data de 2011. O ciclo de estudos está acreditado pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior.
É atualmente o único ciclo de estudos do ensino público nacional a conferir o grau de licenciado em Ciências da Nutrição.

Diplomas

  • Licenciatura em Ciências da Nutrição (240 Créditos ECTS)

Unidades Curriculares

Anatomia Humana I

CN11001 - ECTS

Aprendizagem da terminologia anatómica, da nomenclatura das regiões em que se subdivide o corpo humano (Nomina Anatomica) e da constituição detalhada do aparelho locomotor, sua inervação e vascularização, e do sistema nervoso central.

Bioestatística

CN11002 - ECTS

No final do semestre, o aluno deverá ter noção da importância da estatística na investigação científica. Esta disciplina pretende motivar os alunos a fazerem uma análise crítica dos estudos estatísticos que encontrem ou que realizem.
Para tal, os alunos deverão ter a noção de população e de amostra e ser capazes de distinguir os diferentes tipos de variáveis aleatórias.
No estudo de dados deverão ser capazes de calcular médias, medianas, modas, percentis, quartis, variâncias, desvios padrão e coeficientes de simetria e achatamento, quer os dados estejam apresentados sob a forma de séries estatísticas ou em conjuntos de dados agrupados por classes. Deverão ser capazes de apresentar e compreender dados em tabelas ou gráficos.
Os alunos deverão conseguir avaliar a relação entre pares de variáveis, em particular, deverão saber interpretar os coeficientes de correlação de Pearson e de Spearman, os valores do k de Cohen e da razão de possibilidades. Deverão compreender o conceito de teste de hipóteses e saber interpretar alguns testes comuns.
Será necessário que os alunos sejam capazes de realizar cálculos elementares de probabilidades, distinguir acontecimentos independentes de acontecimentos exclusivos e compreensão da definição de probabilidade condicionada. Será importante que distingam probabilidade de razão de possibilidades.
Os alunos deverão conseguir interpretar função de probabilidade, função densidade de probabilidade e função de distribuição de probabilidade e deverão ser capazes de calcular valores esperados e variâncias.

Biologia Celular e Molecular

CN11007 - ECTS

Nota Introdutória:

A Biologia Celular e Molecular reúne o conhecimento das estruturas celulares e suas funções que, organizadamente, concorrem para manter as células vivas e funcionais.
Depois da evolução da citologia para a biologia das células, a progressiva capacidade analítica e tecnológica levou ao isolamento das biomoléculas e à elucidação de muitas das suas interacções. Tal facultou uma evolução natural para a biologia molecular das células.

Sinal da evolução mais recente é o poder dos métodos da biologia molecular que, partindo de simples células a seres multicelulares, rapidamente recolhem quantidades enormes de informação biológica, que é armazenada em bases de dados de dimensão crescente. Compila-se a genómica, a proteómica, a metabolómica e outras ómicas, enquanto se antevê para o futuro próximo, a tarefa gigantesca de elucidar o seu significado funcional.

Paralelamente, recatalogam-se as espécies, produzem-se seres transgénicos, inactivam-se genes selectivamente, transformam-se as células e, por fim, até se criam novas células. Trata-se de um mundo novo, ainda mais admirável pela subtileza, intrigante pela complexidade e mais exigente, ética e conceptualmente.
O desenvolvimento biotecnológico já realizado e o que se antevê, pressupõe uma biologia molecular ainda mais utilitária e societária. Na Biotecnonolgia, as técnicas de Biologia Celular e Molecular foram apuradas e adaptadas à produção de biomoléculas em larga escala e à preparação de organismos geneticamente modificados.

In situ, porém, as células são entidades diferenciadas e adaptadas à economia dos organismos. As funções que realizam, as próprias e as resultantes da interacção com o ambiente – o tecido, o órgão, o organismo e o meio exterior –, levam ao apuramento da sua organização estrutural. Esta optimizou-se para eficientemente transformar alimentos em nutrientes. Estes, depois de captados e direccionados já dentro das células, são armazenados ou convertidos em trabalho celular diferenciado.

Estas perspectivas e o valor singular da Biologia Celular e Molecular nas ciências da vida são razões justificativas para a sua inclusão como unidade curricular num curso de licenciatura em Ciências da Nutrição.


Objectivos da Unidade Curricular 

Ao nível dos conteúdos, pretende-se que os alunos conheçam e integrem:

1. A diversidade das células e das técnicas empregues no seu estudo e manuseio;
2. As propriedades especiais da membrana citoplasmática na captação e exteriorização de biomoléculas;
3. A organização estrutural e molecular do núcleo e os processos gerais da replicação e transcrição;
4. Os organelos e os nutrientes citoplasmáticos de reserva, e a sua importância para a economia celular;
5. A síntese, processamento e destino intra e extracelular das moléculas sintetizadas;
6. Os mecanismos de recepção e processamento de sinais do meio, bem como a resposta celular;
7. O ciclo de vida das células, incluindo a sua divisão, diferenciação, envelhecimento e morte programada.

Ao nível das atitudes e aptidões dos alunos a unidade curricular tem como objectivos:

1. Despertar ou estimular o gosto pelo conhecimento e apoiar o uso continuado de livros de texto, artigos científicos e “sites” de Internet.
2. Educar na busca da verdade, desenvolvendo a observação, descrição e análise do real.
3. Incitar à investigação científica e primar pela análise objectiva.
4. Modelar a transmissão dos conhecimentos adquiridos, premiando a utilização da linguagem exacta e concisa.

Hábitos Alimentares - Abordagem Integrada I

CN11005 - ECTS

Objectivo geral: Fornecer aptidões para a compreensão do fenómeno alimentar em toda a sua complexidade. Objectivos específicos: Proporcionar conhecimentos sobre: a) a evolução das práticas alimentares da Humanidade das origens à actualidade; b) a evolução do estudo das Ciências da Nutrição. c)a importância das determinantes psicossociais dos comportamentos de consumo relacionados com a saúde, nomeadamente do comportamento alimentar. d) a compreensão da interacção desses factores ao longo do ciclo de vida e o seu contributo para moldar atitudes e decisões. e) os métodos e técnicas de investigação utilizadas pela psicologia no estudo dos comportamentos associados à saúde e à doença.

Metodologias de Avaliação da Ingestão Alimentar

CN11006 - ECTS

Nesta unidade curricular pretende-se fornecer aos estudantes competências que lhes permitam utilizar com proficiência uma das ferramentas fundamentais para o exercício da futura profissão: a avaliação da ingestão alimentar e nutricional.
Assim, no final desta unidade curricular os estudantes deverão (1) conhecer os métodos de recolha de informação da ingestão alimentar; (2) Ser capazes de recolher, registar e reportar dados da ingestão alimentar individual.

Química Orgânica

CN11004 - ECTS

Os contributos que cada um vai recebendo para a sua formação científica, profissional e humana não estão de modo nenhum confinados aos muros da escola. O principal agente dessa formação é sempre cada um de nós, que formula perguntas e vai encontrando respostas que integra de forma pessoal no conhecimento colhido de múltiplas fontes. A variedade destas fontes é cada vez mais vasta num mundo que, com os recentes progressos das tecnologias da informação, se assemelha cada vez mais a uma grande aldeia. Se noutros tempos a escola podia representar o papel de fonte privilegiada e incontestada de conhecimento, atualmente atribuir-lhe esse papel deixou de fazer sentido. O papel da escola e dos professores é, no nosso ponto de vista, o de estimular e ajudar os estudantes na busca e na estruturação da sua própria formação, facilitando esse processo ao propor temas de estudo, que funcionam como etapas orientadoras dessa formação, e sugerir fontes, que estão validadas cientificamente por pares. A escolha desses temas e a profundidade com que são desenvolvidos não é um exercício abstrato, isento e rígido, mas antes resultante de um conjunto de opções discutíveis e continuamente reformuladas pelos novos desafios que a ciência vai propondo e também pela experiência pessoal dos professores, quer como docentes quer como investigadores.

Sendo parte integrante do conjunto de temas propostos à reflexão dos estudantes durante a sua licenciatura em Ciências da Nutrição, a unidade curricular (UC) a que se convencionou chamar Química Orgânica está muito próxima das UCs de Bioquímica I (também no primeiro ano da licenciatura) e de Bioquímica II e Bioquímica III (ambas no segundo ano) que são da responsabilidade da mesma equipa docente (pertencente à Unidade de Bioquímica do Departamento de Biomedicina da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto). Assim, não se estranhará que a UC de Química Orgânica seja entendida por esta vasta equipa como uma sub-etapa (por sinal, a primeira) do processo de aquisição da linguagem própria da Bioquímica, do conhecimento dos seus métodos de estudo e das suas leis, moléculas e reações fundamentais. Nesta sub-etapa colocamos particular ênfase (1) no estudo das estruturas químicas dos seres vivos e (2) no estudo de aspetos de bioquímica geral e química orgânica com particular interesse para a compreensão das transformações químicas próprias dos seres vivos e dos alimentos.

No ano letivo 2020/2021, a pandemia de COVID-19 obriga ao cumprimento de uma série de regras de segurança sanitária que visam limitar a propagação da doença. Neste contexto, a UC de Química Orgânica é proposta com uma forte componente de ensino à distância, tendo como base as seguintes premissas:

  • A importância central, para o sucesso da formação integral de qualquer estudante, da sua presença física nas instalações da Universidade e da Faculdade à qual conseguiu acesso, para lhe ser possível o relacionamento pessoal presencial, e não apenas virtual, com os docentes, não docentes, colegas e espaços da instituição,
  • A equidade de atividades pedagógicas entre os estudantes, pese embora a necessidade de divisão das turmas em 2 turnos que frequentarão presencialmente as aulas teóricas e as aulas práticas em semanas alternadas (ver Tabela 1),
  • A conservação dos conteúdos programáticos que se consideram essenciais para a obtenção dos resultados de aprendizagem e das competências preconizados para a unidade curricular,
  • A execução das atividades de avaliação que se têm mostrado eficazes na obtenção de sucesso académico de cada estudante.

Anatomia Humana II

CN12001 - ECTS

Na disciplina de Anatomia II pretende-se que os alunos prossigam a aprendizagem da terminologia anatómica geral e da nomenclatura das regiões em que se subdivide o corpo humano (iniciada na disciplina de Anatomia I) com especial incidência para o estudo detalhado do sistema nervoso central e dos órgãos dos sentidos, dos aparelhos respiratório, digestivo, urinário, genital masculino, genital feminino, e das glândulas endócrinas.
Pretende-se igualmente que desenvolvam as suas capacidades de observação e estudo autónomo, consolidem as bases do método descritivo e que integrem os conhecimentos morfológicos com noções de anatomia funcional.

Bioquímica I

CN12002 - ECTS

O objetivo geral desta unidade curricular é fomentar a curiosidade dos estudantes sobre os aspetos gerais do metabolismo glicídico apresentados duma forma básica, tecnológica e clínica, demonstrando como os nutrientes são metabolizados, interatuam uns com os outros e interferem com os múltiplos sistemas metabólicos e reguladores do organismo. Serão discutidas as alterações no metabolismo glicídico em diferentes situações fisiológicas e patológicas. Pretende-se demostrar o interesse e a importância dos assuntos abordados em questões de aplicação prática nas diferentes áreas de exercício da profissão enquanto nutricionistas. Pretende-se que os estudantes sejam capazes de interpretar e avaliar os riscos e benefícios para a saúde de determinadas alterações alimentares e a sua fundamentação bioquímica.

A realização do trabalho prático permite que os estudantes observem efeitos de processos relacionados com os conhecimentos teóricos adquiridos, contribuindo para a sua consolidação, adquirindo espírito crítico científico e compreendendo a estruturação da construção do conhecimento em ciência, sempre tendo por base processos bioquímicos de interesse alimentar e nutricional.

Comunicação

CN12004 - ECTS

1. Proporcionar conhecimentos sobre os produtores de conhecimento, metodologias de produção científica e formatos mais comuns para a sua divulgação, em especial na área das ciências da nutrição.

2. Proporcionar capacidades para recolher informação de qualidade na área das ciências da nutrição e afins.

3. Proporcionar capacidades para fazer uma análise crítica das diferentes fontes de informação e qualidade dos seus conteúdos, em especial na área das ciências da nutrição.

4. Fornecer conhecimentos mínimos e capacidades pessoais para comunicar informação científica, aos pares e para os diferentes públicos, usando metodologias e linguagem apropriada.

5. Proporcionar capacidades para fazer uma análise crítica dos diferentes formatos de interacção entre as ciências da nutrição e o público, à luz de princípios pedagógicos, éticos e de deontologia profissional.

Hábitos Alimentares - Abordagem Integrada II

CN12005 - ECTS

Objectivo geral: Fornecer aptidões para a compreensão das relações entre factores comportamentais e psicológicos e a saúde. Objectivos específicos: Proporcionar conhecimentos sobre: a) o Conceito biopsicossocial de Saúde e implicações no estudo e intervenção multidisciplinar da saúde; b) os comportamentos enquanto factores de saúde e de doença; c)a importância das determinantes psicossociais dos comportamentos de consumo relacionados com a saúde, nomeadamente do comportamento alimentar; d) a compreensão da interacção desses factores ao longo do ciclo de vida e o seu contributo para moldar atitudes e decisões; e) os métodos e técnicas de investigação sobre comportamentos num contexto da saúde e da doença.

Histologia

CN12003 - ECTS

O objetivo primordial da Unidade Curricular de Histologia consiste na descrição funcional dos tecidos, órgãos e sistemas do corpo humano para incrementar o conhecimento na perspetiva necessária à formação de profissionais de saúde. No caso concreto da licenciatura em Ciências da Nutrição e Alimentação pretende-se que as/os estudantes adquiram conhecimentos/competências específicas no que respeita à:

-        Relação entre a forma/função de várias estruturas histológicas e do modo como a nutrição adequada e os desvios alimentares afetam a estrutura histológica/função normais.

-        Compreensão detalhada da histologia do aparelho digestivo e glândulas anexas de modo a entender a sua articulação com os restantes sistemas orgânicos (ex. sistema cardiovascular, sistema urinário, sistema endócrino). Entender a forma como disfunções da articulação entre o sistema digestivo e os restantes sistemas orgânicos originam perturbações da homeostasia.

 

Bioquímica II

CN21001 - ECTS

Esta unidade curricular surge inserida numa sequência que, no seu todo, pretende ser coerente. Assim, com base nos conhecimentos e treino de pensamento em termos bioquímicos já adquiridos nas unidades curriculares de Química Orgânica e Bioquímica I, propõe-se assim continuar a aprendizagem do metabolismo do ser humano, com vista à compreensão integrada do estado de saúde e de algumas doenças, seleccionadas por critérios de prevalência e/ou exemplaridade pedagógica. Não se pretende que os estudantes aprendam a descrever de cor as vias metabólicas, mas a saber lê-las como se lê um mapa, vendo como os metabolitos intermediários se relacionam uns com os outros, onde estão os pontos chave para a regulação e para a integração das diferentes vias, onde actuam enzimas afectadas por doenças conhecidas, ou enzimas alvo de medicamentos ou venenos, e ainda a perceber como alterações num sistema podem levar a alterações nos outros sistemas.
As bases do conhecimento que permitem entender porque uma dieta é mais adequada do que outra, quais as necessidades nutricionais das pessoas nas diversas fases do desenvolvimento, diversos estados ponderais, diversas situações de saúde ou doença, e ainda as bases que permitem interpretar e avaliar os dados que se vão adquirindo sobre os riscos e benefícios para a saúde de determinadas alterações alimentares encontram-se fundamentalmente na Bioquímica. Na realidade, é neste conjunto de unidades curriculares que se estuda o modo como os nutrientes são metabolizados, como interactuam uns com os outros e como interferem com os múltiplos sistemas metabólicos e reguladores do organismo.
Compreende-se, por força de tudo isto, que nesta e nestas unidades curriculares estejam em causa conhecimentos essenciais para quem pretende cursar, com êxito e autonomia cognitiva futura, uma licenciatura como a das Ciências da Nutrição e da Alimentação.
Nesta unidade será dada particular ênfase ao metabolismo lipídico

Composição Nutricional de Alimentos

CN22006 - ECTS

O objectivo geral desta Unidade Curricular (UC) é conhecer os alimentos como fontes de nutrimentos e outras substâncias biologicamente activas.

Pretende-se que os estudantes saibam pesquisar informação nutricional fidedigna sobre os diversos alimentos, sumarizar o seu valor nutricional, perceber a sua influência no aporte nutricional e o seu impacto na saúde humana. 




Fisiologia I

CN21002 - ECTS

Pretende-se transmitir aos estudantes uma terminologia, linguagem e conceitos que constituam uma base de conhecimentos dos vários campos da fisiologia humana, a aplicar posteriormente noutras unidades curriculares do curso e na futura vivência profissional.

Microbiologia Básica

CN21003 - ECTS

Nesta primeira unidade curricular da área da Microbiologia pretende-se que os estudantes compreendam a relevância das várias áreas da Microbiologia e suas aplicações para a área de formação em Ciências da Nutrição e Alimentação. Assim, pretende-se apresentar os princípios fundamentais da Microbiologia na perspetiva da interação entre os principais grupos de microrganismos (bactérias, fungos, parasitas e vírus) e o Homem. O programa teórico aborda as características gerais e específicas dos microrganismos e sua importância, quer como agentes de doença, quer como integrantes da microbiota humana. O programa laboratorial pretende dar a conhecer aos estudantes as metodologias correntes/alternativas utilizadas em Microbiologia e apoiar do ponto de vista experimental os conceitos abordados nas aulas teóricas. Sendo a Microbiologia uma disciplina abrangente procura-se despertar nos estudantes o interesse pelo conhecimento e compreensão do papel fundamental dos microrganismos nas diferentes áreas de formação do Nutricionista.

 

Nutrição Humana

CN21004 - ECTS

O estudante deve ser capaz de: 

1. Identificar os constituintes dos alimentos, nutricionais e não nutricionais, suas funções, utilização e inter-relações metabólicas;
2. Conhecer recomendações nutricionais e suas bases metodológicas, incluindo as de harmonização global;
3. Caracterizar o padrão nutricional ideal;
4. Identificar factores que interferem no aprovisionamento e qualidade nutricional e da alimentação; 
5. Reconhecer a nutrição adequada como parte integral da promoção de saúde e prevenção da doença, e que a mortalidade e a morbilidade podem ser significativamente reduzidas através da manipulação de factores nutricionais, durante o ciclo de vida, de acordo com as características individuais, e em situações fisiológicas particulares;
6. O papel do nutricionista como especialista a que se deve recorrer para planear a ingestão nutricional. 

Projecto de Comunicação

CN21006 - ECTS

O Projeto de Comunicação na licenciatura em Ciências da Nutrição tem como objetivos:

- Proporcionar conhecimentos sobre o enquadramento conceptual e as diferentes especificações de natureza técnica que um projeto de intervenção na área da comunicação na área das ciências da nutrição tem que cumprir;

- Proporcionar capacidades de planeamento, nomeadamente para elaborar uma ficha de projeto, onde conste a análise da situação, objetivos, metodologias de intervenção e avaliação;

- Proporcionar capacidades de base para saber implementar um projeto na área da comunicação e/ou educação alimentar;

- Proporcionar capacidades de base para saber avaliar os resultados de um projeto de comunicação e/ou educação alimentar.

- Proporcionar capacidades de base para compreender os conceitos de comunicação enquadrados em estratégias de marketing mais abrangentes.

Alimentação Humana

CN31001 - ECTS

Os objectivos da formação a obter com a disciplina de Alimentação Humana, são: - Adquirir saberes no domínio da regulação da ingestão e do peso corporal através de factores nutricionais, alimentares, comportamentais, sócio-económicos, culturais e demográficos; - Adquirir saberes no domínio dos padrões alimentares existentes em Portugal e diferentes partes do Mundo, do ponto de vista sócio-cultural, alimentar, nutricional e sanitário; - Adquirir saberes no domínio das particularidades biológicas e nutricionais no estado adulto e em situações fisiológicas especiais, nomeadamente grávidas e aleitantes, e idosos; - Adquirir saberes no domínio das particularidades biológicas e nutricionais de desportistas; - Adquirir saberes no domínio da informática como banco de dados e como ferramenta para formular planos alimentares; - Desenvolver competências que possibilitem calcular necessidades nutricionais e energéticas de acordo com os vários períodos do ciclo da vida (após idade pediátrica), a gravidez e o aleitamento, as actividades profissionais e de lazer, a idade, o sexo, o estilo de vida, e o clima; - Desenvolver competências que possibilitem o registo de planos alimentares utilizando formatos, linguagem e termos que sejam claros e facilmente perceptíveis pelos indivíduos a que se destinam, e a outros indivíduos, profissionais de saúde ou não, que possam necessitar de aceder a essa informação. E os objectivos da disciplina relacionados com o desenvolvimento de um espírito de intervenção crítica, são: - Desenvolver competências que possibilitem reconhecer o valor nutricional e sócio-cultural de alimentos e bebidas para os integrar em diferentes conjuntos alimentares, consoante as características do indivíduo ou do grupo populacional; - Formular ementas nutricionalmente adequadas para os vários períodos do ciclo da vida (após idade pediátrica), gravidez e aleitamento, e prática desportiva, segundo actividades profissionais e de lazer, preferências individuais, práticas religiosas e culturais, clima e estilo de vida. - Interpretar informações sobre a ingestão nutricional e alimentar, em relação aos objectivos e preferências dos indivíduos, e produzir modificações de acordo com as actividades profissionais e de lazer, idade, sexo, estilo de vida, e clima; - Trabalhar em grupo para planear, implementar e rever ementas para indivíduos ou grupos; - Comunicar de forma efectiva com os indivíduos e grupos, utilizando diferentes estratégias, incluindo as tecnologias de informação e comunicação, de modo a que estes possam ter uma escolha informada sobre a sua alimentação. Tendo por referência os princípios e os objectivos atrás enunciados, a disciplina estrutura-se em torno de temáticas e conteúdos que permitam ao estudante: - Compreender a importância da alimentação como parte integrante da promoção de saúde e prevenção da doença, e a diminuição da mortalidade e morbilidade através da manipulação da alimentação, durante o ciclo de vida e em situações fisiológicas particulares; - Analisar criticamente a alimentação de um indivíduo ou grupos de indivíduos ao longo do ciclo de vida e em situações fisiológicas especiais; - Situar-se face a diferentes padrões de alimentação saudável; - Compreender a importância de múltiplos factores, incluindo culturais, psicossociais, económicos, nutricionais, alimentares, conhecimentos, de saúde e estilo de vida, na alimentação; - Perspectivar papéis do nutricionista como especialista para planear a ingestão alimentar de indivíduos, ao longo do ciclo de vida e em situações fisiológicas especiais.

Bioquímica III

CN22001 - ECTS

A unidade curricular de Bioquímica III visa:

1. Contribuir para a compreensão da biologia do ser humano.

2. Contribuir para a aquisição da linguagem própria da bioquímica e para o conhecimento dos métodos de estudo próprios desta área científica.

3. Aprofundar o estudo do metabolismo, predominantemente o metabolismo aminoacídico e a síntese e catabolismo de compostos derivados de ácidos aminados.

4 . Aprofundar aspetos de integração dos metabolismos proteico, glicídico e lipídico.

Fisiologia II

CN22003 - ECTS

A Fisiologia é uma disciplina integrativa e abrangente, em que se procura despertar nos estudantes o interesse pelo conhecimento e compreensão do funcionamento normal do organismo e, assim, compreender a razão pela qual os desvios da normalidade implicam distorções que condicionam adaptações funcionais fisiopatológicas que podem levar à doença ou à morte conforme a sua gravidade ou insuficiência de mecanismos compensadores. Procura-se ainda que os estudantes apliquem e relacionem conhecimentos das Ciências da Nutrição na interpretação de eventos fisiológicos ou fisiopatológicos nos vários sistemas orgânicos.

Genética

CN22005 - ECTS O objectivo principal da disciplina é permitir a aquisição de noções básicas de Genética Humana, nas suas principais vertentes: Genética Molecular, Citogenética, Genética Mendeleana e Não-Mendeleana e Genética de Populações.

Imunologia

CN22004 - ECTS

A orientação do ensino/aprendizagem da Disciplina de Imunologia obedece a diversos objectivos gerais e específicos, interligados por um objectivo comum: o papel fundamental da Imunologia na formação de um Nutricionista.

Neste sentido, pretende-se imprimir um espírito aberto e crítico e ensinar a manter a procura constante e permanente de novos conceitos.
Competências:
a) Conhecimentos dos mecanismos básicos da resposta imunológica, da sua patologia e da sua resposta face a uma agressão exógena.
B) Ser capaz de descrever a patogénese das doenças do foro imunológico, no entendimento de que pode haver uma relação entre a doença e o estado nutricional, sendo este modulador da sua evolução.

Resultados da apredizagem-
Suscitar uma reflexão sobre a importância da abordagem multidisplinar na sua futura área profissional, onde será de valorizar a relação doente/médico/nutricionista/família/comunidade

Metodologias de Avaliação de Estado Nutricional I

CN22007 - ECTS

Os avanços exponenciais nas Ciências da Nutrição levam à necessidade de treino avançado na área da avaliação do estado nutricional de um indivíduo.

Estes novos desafios requerem a aquisição de competências na avaliação do estado nutricional, que implicam não só o domínio dos conceitos e das técnicas, mas também o rigor das medições e a conduta ética inerentes às medições biológicas em indivíduos.

A junção dos avanços científicos e tecnológicos, com a aquisição de competências e de uma atitude profissional, traduz-se numa notável possibilidade de melhoria da qualidade e da eficiência na avaliação do estado nutricional.

Microbiologia Alimentar

CN22008 - ECTS

Nesta unidade curricular de Microbiologia aplicada pretende-se que os estudantes compreendam a relevância da área da Microbiologia Alimentar e as suas aplicações para a área de formação em Ciências da Nutrição e Alimentação. Assim, com base nos conhecimentos/competências adquiridas na UC de Microbiologia Básica pretende-se estudar a interação entre microrganismos e alimentos na perspetiva da segurança e qualidade alimentar, tendo por finalidade a prevenção das Doenças Microbianas Transmitidas por Alimentos e/ou Água e a produção de géneros alimentícios seguros e de qualidade. O programa teórico aborda a presença dos microrganismos nos alimentos como agentes etiológicos de doenças, de deterioração e de produção e/ou preservação de alimentos, com especial destaque para as Doenças Microbianas Transmitidas por Alimentos e/ou Água. O programa laboratorial pretende dar a conhecer aos estudantes as metodologias convencionais e as alternativas utilizadas na análise microbiológica de diversas matrizes (alimentos, água, superfícies e manipuladores de alimentos), incluindo os referenciais de critérios microbiológicos para interpretação de resultados, e apoiar do ponto de vista experimental os conceitos abordados nas aulas teóricas. Sendo a Microbiologia Alimentar uma disciplina aplicada da área da “Alimentação Coletiva, Segurança e Qualidade Alimentar” procura-se despertar nos estudantes o interesse pelo conhecimento e compreensão do papel fundamental dos microrganismos nos alimentos/água nas diferentes áreas de formação do Nutricionista.

Bromatologia

CN31003 - ECTS

O objetivo principal desta Unidade Curricular (UC) é dotar os estudantes de conhecimentos essenciais, ao nível teórico e experimental, para a interpretação e prática de análises químicas de alimentos.

 Trata-se de uma área de estudo necessária, para o conhecimento da composição dos alimentos, nomeadamente do tipo de análise que melhor se adequa ao estudo de cada nutriente em diferentes tipos de alimentos, permite ainda, compreender/ interpretar os resultados de análises da composição química dos alimentos (composição nutricional, indicadores de qualidade, compostos protetores, contaminantes…) baseado em evidência científica e legislação.

 Numa primeira fase, serão abordadas as técnicas analíticas mais usadas em análise de alimentos, com especial incidência nas técnicas volumétricas, espetrofotométricas e cromatográficas. Numa segunda fase, serão apresentadas as metodologias mais usadas na análise dos diversos constituintes alimentares, nomeadamente dos componentes maioritários (proteínas, lípidos e hidratos de carbono), de micronutrientes (vitaminas, minerais e ácidos orgânicos) e de alguns aditivos e contaminantes de maior relevância. Por fim serão abordadas as metodologias analíticas usadas na avaliação global dos alimentos mais representativos da nossa dieta.

Farmacodinamia

CN31005 - ECTS

Nesta disciplina tem-se como prioridade o ensino da Farmacologia, nomeadamente quanto aos princípios da Farmacologia Geral e Especial, e em particular o que interessa à intervenção farmacológica no organismo e possa resultar em modificação na utilização pelo organismo dos múltiplos constituintes presentes na dieta. Assume-se como sendo indispensável para uma correcta formação em Ciências da Nutrição o conhecimento dos princípios que regem as acções de fármacos no organismo e quais as modificações operadas no organismo pelos constituintes farmacologicamente activos existentes na dieta. Não é objectivo desta disciplina prestar qualquer informação que possa ser de utilidade quanto ao emprego de fármacos em terapêutica.

Gastrotecnia

CN21005 - ECTS

Objetivo geral desta UC é compreender as principais características dos alimentos e alterações sofridas pelos processos culinários. Trata-se de uma área de estudo necessária para a compreensão das características químicas dos nutrientes mais envolvidas nos processos culinários dos alimentos, tendo como principal enfoque o tempo e a temperatura envolvidos nestes processos.

Objetivos específicos:

- Proporcionar ao estudante conhecimentos que o tornem capaz de planear e executar preparações culinárias tendo em consideração as alterações sofridas pelos alimentos e as características organoléticas do produto final, quer se destinem ao consumidor comum quer àquele que necessita de cuidados especiais.

- Consciencializar o estudante da necessidade de implementar o conceito da cozinha tradicional associado à Dieta Mediterrânica, usando técnicas de culinária saudável. 

- Desenvolver a aquisição autónoma do conhecimento.

Metodologias de Avaliação do Estado Nutricional II

CN31004 - ECTS

1. Proporcionar conhecimentos sobre metodologias indirectas de avaliação do estado nutricional de populações.
2. Desenvolver aptidões na obtenção, interpretação e análise de dados obtidos pelas metodologias indirectas.

Patologia Geral e da Nutrição

CN31006 - ECTS O objectivo fundamental do ensino da Patologia Geral e da Nutrição é o de conseguir que os estudantes fiquem capazes de utilizar o estudo das lesões (morfológicas, imunológicas, bioquímicas, moleculares, etc.) como instrumento para a compreensão da etiopatogenia e do diagnóstico das doenças, com especial ênfase nas do sistema digestivo e da nutrição. O ensino da Unidade Curricular procurará, ainda, conseguir que os estudantes se habituem a perspectivar as doenças em termos da interacção genético-ambiental, extraindo dessa atitude corolários fundamentais no domínio da medicina preventiva. Pretende-se que os estudantes aprendam a linguagem anátomo-patológica (palavras/conceitos) e adquiram capacidade de observar/descrever e raciocinar em termos biopatológicos na interpretação e resolução de problemas.

Toxicologia Alimentar

CN31002 - ECTS

A Toxicologia é a ciência que estuda os efeitos deletérios das substâncias químicas nos seres vivos e avalia a probabilidade da sua ocorrência. A maior parte dessas substâncias existe na natureza, tendo o Homem desde muito cedo descoberto a possibilidade de utilizar extratos animais e vegetais como venenos, para caçar ou como arma de guerra. Nessa perspetiva, a Toxicologia constitui um saber muito antigo. Como ciência experimental de feição moderna, a Toxicologia é irmã gémea da Farmacologia, com a qual se sobrepõe parcialmente: “Todas as substâncias são venenos, ... é a dose que estabelece a diferença entre um medicamento e um veneno” (Paracelsus, 1493-1541). Enquanto se ocupa do estudo dos efeitos adversos dos medicamentos, a Toxicologia faz parte da Farmacologia. Por outro lado, a Toxicologia partilha com a Farmacologia muitos dos métodos que utiliza, e contribui, tal como esta, para a investigação da Fisiologia. No entanto, o âmbito da Toxicologia tem vindo a alargar-se progressivamente nas sociedades industrializadas, contribuindo duma forma importantíssima para o conhecimento das consequências e respetivos mecanismos da exposição, para além dos fármacos, a agentes químicos no ambiente de trabalho, no ar, na água, no ambiente em geral, e nos alimentos. Atualmente os toxicologistas têm um papel importante na regulamentação do uso de substâncias químicas de modo a proteger-se o ambiente e a saúde humana.
A Toxicologia Alimentar constitui uma subespecialidade da Toxicologia com uma enorme relevância para a saúde humana. Por um lado, a alimentação é uma componente incontornável da vida, a que todos estamos expostos. Por outro lado, porque da sua complexa composição fazem parte substâncias naturais, algumas com atividade antinutritiva e/ou tóxica, e xenobóticos antropogénicos, resultantes quer das manipulações ou processamentos a que são sujeitos, quer das contaminações ambientais ou industriais. A complexidade química da matriz dos alimentos, bem como a sua variabilidade, conferem uma dificuldade única a este ramo da Toxicologia. As interações xenobiótico-xenobiótico, xenobiótico-fármaco e xenobiótico-nutriente (alimento) apresentam um caráter muito particular deste ramo da ciência.

Alimentação Colectiva e Gestão

CN32005 - ECTS

Nesta unidade curricular pretende-se fornecer aos estudantes ferramentas que lhes permitam a familiarização com a gestão de serviços de alimentação, desde o planeamento físico, às rotinas e gestão de informação, passando por todas as fases inerentes aos processos de planeamento e gestão de refeições, gestão de custos e de recursos humanos.

Análise Estatística

CN32003 - ECTS No final do semestre os alunos deverão ter noção da importância da estatística na investigação científica e deverão ser capazes de construir hipóteses e aplicar os testes estatísticos adequados. Esta disciplina pretende motivar os alunos a fazerem uma análise crítica das ferramentas estatísticas utilizadas em estudos que os alunos encontrem ou que realizem.
Para tal, os alunos deverão ser capazes de utilizar diferentes estimadores pontuais e intervalares.
Deverão ser capazes de formular a hipótese nula e hipótese alternativa de acordo com a análise que pretendem efectuar, assim como realizar os testes de hipóteses adequados.
Os alunos deverão conseguir calcular e interpretar regressões lineares simples e múltiplas, o mesmo sucedendo no caso das regressões logísticas.

Nutrição e Saúde Pública

CN32002 - ECTS

1. Proporcionar conhecimentos sobre a evolução histórica dos conceitos de saúde e saúde pública e sua interação com a nutrição;
2. Proporcionar conhecimentos sobre os principais problemas de saúde pública associados à nutrição, em Portugal e no Mundo.
3. Proporcionar conhecimentos que permitam entender o papel do Nutricionista nos cuidados de saúde primários;  
4. Proporcionar aptidões para desenvolvimento de instrumentos de recolha de dados individuais, nomeadamente através de inquéritos por questionário; 
5. Proporcionar competências para recolha de dados de indivíduos através de entrevistas;
6. Proporcionar capacidades e aptidões para intervir a nível populacional, identificando e apontando soluções para a resolução de problemas de nutrição e saúde pública.

Patologia e Dietoterapia I

CN32004 - ECTS


A disciplina de Patologia e Dietoterapia aborda de forma sistemática e integrada, os aspectos fisio-patológicos das doenças, a sua etiologia e terapia nutricional adequada.


Segurança Alimentar

CN32006 - ECTS

Práticas e procedimentos de higiene em serviços de alimentação, em unidades de restauração e na indústria alimentar.
Preparação e formação de profissionais em práticas sanitárias.
Estudo das técnicas de implementação, avaliação e monitorização sanitária dos alimentos levados a consumo público, visando a deteção de alterações fraudes e falsificações alimentares.
Conhecimento dos sistemas de gestão da segurança alimentar.
Legislação sanitária em vigor.

Dar a conhecer os princípios que regem as ações para a promoção da higiene e segurança alimentar.

Sensibilizar para a importância da higiene segurança alimentar.

Propor a aprendizagem, com base nos conhecimentos bioquímicos, bromatológicos, microbiológicos, toxicológicos e tecnológicos já anteriormente adquiridos, aplicando-os e interrelacionando-os.

Compreender as condições e circunstâncias que condicionam a higiene e segurança dos bens alimentares.

Identificar e avaliar as práticas e procedimentos higio-sanitários utilizados nas unidades de alimentação e nutrição e em estabelecimentos que produzam alimentos.

Estudar a Legislação pertinente à produção e comercialização de alimentos e o emprego de sistemas de monitorização controlo e gestão da segurança alimentar.

Preparar e formar profissionais para o controlo de qualidade e avaliação, fiscalização dos alimentos, particularmente no controlo higio-sanitário da restauração coletiva e pública bem como da industria alimentar.

Esclarecer o papel dos manipuladores de alimentos, dos técnicos de saúde e do público consumidor quanto às responsabilidades na preservação dos alimentos, da saúde individual e de toda a coletividade.

Eleger medidas preventivas e estabelecer procedimentos para o fornecimento de alimentos e de alimentação seguros, atendendo aos requisitos sanitários de saúde pública, com base na legislação vigente.

Tomar conhecimento com os sistemas de segurança alimentar sustentados na Análise do Risco.
Promover a gestão e garantia da higiene e segurança alimentar.

Tecnologia Alimentar

CN32001 - ECTS

Identificar as principais características dos alimentos de origem animal e vegetal com interesse no processamento alimentar.
Conhecer as propriedades características dos alimentos indispensáveis ao planeamento do equipamento de processamento alimentar e controlo das condições do processo que visam a modificação das características organoléticas ou aumento do tempo de vida útil dos alimentos, e procuram minimizar as alterações sensoriais e nutricionais.
Estudar os processos de conservação e / ou produção de alimentos por: aplicação ou remoção de calor; remoção de água; embalagem e atmosfera modificada/ controlada. 

Epidemiologia

CN41006 - ECTS

O objetivo principal da Epidemiologia no contexto das Ciências da Nutrição é investigar a contribuição da alimentação e dos fatores relacionados para o desenvolvimento da doença e para o seu tratamento. Trata-se de uma área de estudo estimulante, pois permite elucidar sobre as causas potenciais e as estratégias preventivas da doença. Permite também a avaliação quantitativa da eficácia da prática clínica, o que possibilita a implementação do tratamento nutricional baseado na evidência científica.

Embora a Epidemiologia Nutricional seja um ramo da Epidemiologia relativamente recente, já há mais de dois séculos que os investigadores usam os métodos epidemiológicos básicos na identificação de nutrientes essenciais. Mas foi nas últimas cinco décadas que se tem vindo a observar um desenvolvimento substancial deste ramo da Epidemiologia, que surge da necessidade crescente em responder quantitativamente às questões relacionadas com a relação entre a alimentação e a saúde.

A Epidemiologia Nutricional usa os métodos epidemiológicos para determinar as associações entre os fatores alimentares e a ocorrência de doenças específicas. A natureza complexa da alimentação e a infindável multiplicidade de exposições que proporciona, requer conhecimentos especiais que permitam escolher a forma mais adequada de as observar, de as enumerar e de as determinar. Os efeitos da ingestão alimentar podem ainda ser modificados ou confundidos por outras exposições, que se relacionam com os hábitos de vida. A quantificação independente do efeito da alimentação e do impacto destes fatores tem que ser considerada, assegurando a qualidade da informação sobre a qual as decisões Clínicas e de Saúde Pública são construídas.

Esta unidade curricular é apresentada simultaneamente como um método científico e objetivo de resolução de problemas e como o conjunto dos resultados obtidos pela aplicação deste método. Pretende-se com o seu ensino que os estudantes adquiram conhecimentos e competências a vários níveis, que permitam a utilização da Epidemiologia e do pensamento Epidemiológico com proficiência no seu local de trabalho. 


Nutrição Comunitária

CN41003 - ECTS

1. Adquirir conhecimentos na identificação e intervenção de problemas alimentares/nutricionais em diferentes grupos populacionais.
2. Desenvolver capacidades no desenho, implementação e avaliação de programas de nutrição comunitária.

Nutrição Pediátrica

CN41005 - ECTS

Dotar os estudantes de conhecimentos, aptidões e competências sobre alimentação e nutrição em crianças e adolescentes saudáveis e com patologia.

Patologia e Dietoterapia II

CN41001 - ECTS

A unidade curricular de Patologia e Dietoterapia aborda de forma sistemática e integrada, os aspectos fisio-patológicos das doenças, a sua etiologia e terapia nutricional adequada.

Política Nutricional

CN41002 - ECTS

Para além das questões nutricionais, a oferta e procura de alimentos rege-se atualmente por diferentes forças que condicionam o mercado, podendo citar, entre elas, a produção alimentar e políticas agrícolas, estratégias de distribuição, de promoção e preços.

Compreender o impacte destes fatores, e transformar-los em oportunidades de melhoria do estado nutricional das populações é preocupação central desta disciplina. Pretende-se que os estudantes adquiram competências de gestão e liderança que lhes permitam desenvolver e implementar um conjunto concertado e transversal de ações destinadas a garantir e incentivar a disponibilidade e o acesso a determinado tipo de alimentos tendo como objetivo a melhoria do estado nutricional e a promoção da saúde da população.

Os estudantes deverão ainda compreender outros impactes, para além dos nutricionais, decorrentes da intervenção política e que cuidados e leituras éticas podem ser feitas destas intervenções.

Qualidade Alimentar

CN41004 - ECTS

Conhecer as técnicas, práticas, procedimentos e a legislação relacionadas com a avaliação dos alimentos, com o propósito de atender aos requisitos exigidos pela saúde pública para o consumo de alimentos com qualidade.
Preparação e formação de profissionais em práticas de implementação, avaliação e monitorização da qualidade.
Estudo das técnicas de avaliação da qualidade dos alimentos levados a consumo público, visando a deteção de alterações, defeitos, fraudes e falsificações alimentares.
Conhecimento dos sistemas de gestão da qualidade alimentar.
Análise de referenciais normativos em vigor.


Dar a conhecer os princípios que regem as ações para a promoção da qualidade.

Sensibilizar para a importância da qualidade alimentar.

Propor a aprendizagem da qualidade alimentar, com base nos conhecimentos bioquímicos, bromatológicos, microbiológicos, toxicológicos e tecnológicos e de legislação já anteriormente adquiridos, aplicando-os e interrelacionando-os

Compreender as condições e circunstâncias que condicionam a qualidade dos bens alimentares

Preparar e formar profissionais para o controlo de qualidade – sanidade e qualidade dos alimentos, particularmente no controlo da restauração coletiva e pública bem como na indústria alimentar.

Identificar os problemas causados por alimentos de má qualidade a nível da produção, comercialização e consumo.

Identificar os riscos para a saúde em decorrência das práticas sanitárias inadequadas bem como os riscos da não qualidade.

Tomar conhecimento com os sistemas da qualidade. Promover a gestão e garantia da qualidade alimentar.

Esclarecer o papel dos manipuladores de alimentos, dos técnicos de saúde e do público consumidor quanto às responsabilidades na preservação dos alimentos, da saúde individual e de toda a coletividade.

Alertar para a importância de uma gestão integrada, nomeadamente, na higiene e segurança do trabalho, na prevenção da saúde e no respeito e proteção do ambiente, com o propósito da qualidade total.

Estágio

CN42001 - ECTS
- Proporcionar contacto com a realidade profissional de forma tutelada;
- Permitir a aplicação dos conhecimentos adquiridos;
- Proporcionar a aquisição de novos conhecimentos, capacidades e competências;
- Desenvolver capacidades de exposição e argumentação;
- Desenvolver a capacidade de iniciativa;
- Promover a adaptação a novas situações;
- Fomentar o trabalho em grupo e a integração em equipas multidisciplinares;
- Fomentar o espírito científico, através da realização de um trabalho complementar.
Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2022 © Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Última actualização: 2012-12-06 I  Página gerada em: 2022-08-12 às 21:50:51 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais | Denúncias