Saltar para:
Logótipo
Comuta visibilidade da coluna esquerda
Você está em: Início > DIPEDI

Ergonomia no Design de Interação

Código: DIPEDI     Sigla: EDI

Áreas Científicas
Classificação Área Científica
OFICIAL Engenharia

Ocorrência: 2015/2016 - 1S Ícone do Moodle

Ativa? Sim
Página Web: http://www.giesteira.pt
Unidade Responsável: Design
Curso/CE Responsável: Design Industrial e de Produto

Ciclos de Estudo/Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos UCN Créditos ECTS Horas de Contacto Horas Totais
MDIP 33 Plano Oficial 2013 1 - 3 21 81

Docência - Responsabilidades

Docente Responsabilidade
Bruno Sérgio Gonçalves Giesteira Regente

Docência - Horas

Teorico-Prática: 1,50
Tipo Docente Turmas Horas
Teorico-Prática Totais 1 1,50
Bruno Sérgio Gonçalves Giesteira 0,75
Maria Teresa Vasconcelos de Morais Sarmento Lopes 0,75

Língua de trabalho

Português - Suitable for English-speaking students

Objetivos

. Sistematizar e analisar os principais temas de discussão relacionados com a Ergonomia Cognitiva e Factores Humanos: Ergonomia no Geral; Apresentação da Informação e Comunicação; Características Humanas; Ecrãs e Design da Interação; Fatores Relacionados com a Performance; Métodos e Técnicas.

 
. Compreender e analisar um cenário de interação aprofundando as metodologias de conceção de uma interface, técnicas de projeto, avaliação, prototipagem e implementação.

Resultados de aprendizagem e competências

. Compreender e analisar um cenário de interação, pressupõe a praxis e o conhecimento teórico de três áreas estruturantes da UX: ”User Experince" de forma a responder adequadamente à “Ergo-Nomia” (Normas do trabalho). Nomeadamente:
a) Usabilidade: Na análise, planeamento, implementação e avaliação de cenários/conteúdos eficazes e eficientes na interação/diálogo com o Homem;
b) Acessibilidade: Na análise, planeamento, implementação e avaliação de cenários/conteúdos acessíveis em contextos de uso adversos ou em casos de deficiência temporária ou permanente do utilizador/leitor. Contextos de uso cada vez mais diversificados e uma Europa envelhecida tornam esta área particularmente relevante para futuros produtores de conteúdos;
c) Afetividade: Das três, a área menos quantificável/mensurável na UX, mas de uma enorme relevância dado o atual estado da arte (considerando também outras áreas científicas como a Neurociência e psicologia) que fundamentam grande parte das ações/decisões do ser humano na Memória-Emoção: "Implicit Assessement Measures"

Modo de trabalho

Presencial

Pré-requisitos (conhecimentos prévios) e co-requisitos (conhecimentos simultâneos)

Competências em Design.

Programa

Temáticas:

Ergonomia no Geral; 

Apresentação da Informação e Comunicação;

Características Humanas;

Ecrãs e Design da Interação;

Fatores Relacionados com a Performance;

Métodos e Técnicas.

 

Sub-Temas:

. Antropometria;

. Dimensão Cultural;

. ISOs & Sustentabilidade

. Paradigmas de Interação

. Ciclo de Desenvolvimento do Produto

. Principios de Usabilidade & Interação

. Principios de Diálogo

. Usabilidade: Definição; Métodos e medidas de observação e avaliação comportamental

. Acessibilidade: Definição; Métodos e medidas de observação e avaliação comportamental

. Emotividade/Afetividade: Definição; Métodos e medidas de observação e avaliação comportamental

Bibliografia Obrigatória

Donald Norman; Design in EverydayThings, New riders, 2000
Donald Norman; Emotional Design. ISBN: ISBN 0-465-05136-7
Brenda Laurel; Computers as theatre, Addison-Wesley Publishing Company, 1993. ISBN: ISBN 0-201-55060-1
Jakob Nielsen; Designing web usability, New riders, 2000

Bibliografia Complementar

Bill Buxton; Sketching User Experience, Elsevier, 2007. ISBN: ISBN 13: 978-0-12-374037-3

Observações Bibliográficas

Em todas as aulas serão apresentados e alocados no Moodle alguns artigos científicos de autores de referência na área.

Métodos de ensino e atividades de aprendizagem

. As aulas assumirão uma abordagem de aprendizagem PBS "Problem Based Solving";

. As aulas terão três componentes: Expositiva (onde o docente apresentará a matéria e pontos de análise); Prática (onde o docente promoverá um exercício para resolução em tempo de aula); Palestra (onde um convidado da área da I&D ou indústria complementará a exposição do docente);  

. O professor apresentará temas e matéria relacionada, bibliografia e estudos de caso previamente alocados no Moodle da UC; 

. Algumas aulas terão a participação de um convidado da indústria e/ou I&D cuja a atividade se relacione com a matéria;

. A componente prática da UC será composta por um projecto de grupo, acompanhado e discutidos nas aulas;

. A caixa de email bgiesteira@fba.up.pt estará disponível para esclarecimentos em horário extra-aulas.

Software

Programas de prototipagem Web-Based: Indigo: http://www.infragistics.com/products/indigo-studio - Proto.io: http://proto.io - Fluid UI: http://fluidui.com - Moqups: http://moqups.com - Flinto: https://flinto.com - FramerJS: http://www.framerjs.com

Tipo de avaliação

Avaliação distribuída sem exame final

Componentes de Avaliação

Designação Peso (%)
Exame 50,00
Trabalho laboratorial 50,00
Total: 100,00

Componentes de Ocupação

Designação Tempo (Horas)
Estudo autónomo 21,00
Frequência das aulas 21,00
Trabalho laboratorial 21,00
Total: 63,00

Obtenção de frequência

. A aprovação na disciplina está condicionada à obtenção de 40% a qualquer uma das componentes da avaliação;

 
. Presença obrigatória em 75% das aulas, exceto nos casos previstos na lei geral e nos regulamentos da FBAUP;

 
. A avaliação é continua com exame final resultante da ponderação entre a componente projetual [50%] e o exame [50%];

 
. A avaliação do projeto reflecte a qualidade final do protótipo apresentado, em correspondência com os objetivos iniciais traçados, a integração das componentes do design de interação aplicadas ao projeto, e a sistematização e acompanhamento da informação online;


. A avaliação teórica reflecte o entendimento e aprofundamento das temáticas abordadas.

Fórmula de cálculo da classificação final

. A avaliação é continua com exame final resultante da ponderação entre a componente projetual [50%] e o exame [50%];

 
. Esta unidade curricular, dada a sua forte componente prática e expositiva, não é passível de avaliação em momento único, pelo que não poderá ser substituída por exame de recurso escrito.

Provas e trabalhos especiais

A não participação, nos casos previstos, em 75% das aulas pode obrigar à discussão oral dos elementos de avaliação apresentados e à realização de uma prova escrita sobre as matérias tratadas na disciplina.

Avaliação especial (TE, DA, ...)

Como previsto no Regulamento de Avaliação da FBAUP.

Melhoria de classificação

. Pela realização do exame de recurso;

. A realização da melhoria de nota estará sujeita aos parâmetros de avaliação que vigoram na frequência normal para o exame;

. Caso não seja possível ao estudante comparecer às aulas, este terá que agendar com o docente da disciplina encontros para dialogar sobre a proposta de trabalho; 

. Serão estipuladas aulas para entrega dos trabalhos. O desempenho do aluno durante a apresentação dos mesmos representa um importante elemento de avaliação.

Observações

Todos os trabalhos devem ser acompanhados pelo docente, sob pena de não serem considerados no processo de classificação.

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2017 © Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2017-10-23 às 21:38:50