Saltar para:
Logótipo
Você está em: Início > Notícias > Sessão oficial de Abertura do Ano Letivo 2022.2023 _ Conferência Nada será como dantes e depois por João Reis _ Entrega de Prémios e distinções _ Anuária22

Sessão oficial de Abertura do Ano Letivo 2022.2023
_ Conferência 'Nada será como dantes e depois' por João Reis
_ Entrega de Prémios e distinções
_ Anuária'22

26 de setembro de 2022, 2.ª feira, 17h00, Auditório Fernando Távora



A Sessão Oficial de Abertura do Ano Letivo 2022.2023 da FAUP vai ter lugar a 26 de setembro, 2.ª feira, e será assinalada com uma conferência a proferir pelo ator e encenador João Reis, apresentador e narrador da série 'Planeta A', projeto coproduzido pela RTP e Fundação Calouste Gulbenkian.


A antecipar a conferência, decorrerá a entrega do Prémio Pedro Branco ao melhor estudante a terminar o 3.º ano no ano letivo 2021.2022, e do Prémio Ricardo Spratley ao melhor estudante a terminar o Mestrado Integrado no ano letivo 2020.2021 com média igual ou superior a 16 valores; e serão atribuídas menções de reconhecimento aos estudantes que se doutoraram no ano letivo 2020.2021. Após a sessão será inaugurada a exposição Anuária’22.

Iniciativa enquadrada no projeto 'NEB goes South' que integra o 'New European Bauhaus Lab' da União Europeia.

'Nada será como dantes e depois'
— conferência por João Reis

Quando o rio da minha infância começou a ficar sem peixes e com lixo, nunca me ocorreu que ao rever essa memória triste, tivesse de lá colocar também, como intrusos esquecidos, a economia e a democracia, a educação e a consciência cívica, a cultura e a ciência, e toda uma série de sinais que tantas vezes se contradizem na sua aparente harmonia.
A ideia de progresso é uma ilusão temporária se não for sustentada por um equilíbrio global a nível da gestão de recursos do planeta e das questões associadas ao desenvolvimento económico e social das nações.
Proust, ilustra, numa frase, esta ideia do tempo que corre secretamente contra nós:"O tempo corre em plena luz do dia tão secretamente como o ladrão na noite". É a analogia perfeita, para um tempo em que, vivendo em aceleração permanente, nos esquecemos frequentemente do que tínhamos antes e do que virá depois.
— João Reis

João Reis
Nasceu em Lisboa, em 1965. No teatro, estreou-se em D. João e a Máscara, de António Patrício. Em teatro, destaca-se o trabalho realizado com os encenadores ou em encenações de Ricardo Pais, João Lourenço, Nuno Carinhas, José Wallenstein, Luis Miguel Cintra, Carlos Pimenta, Jorge Lavelli, Giorgio Barberio Corsetti, Pedro Mexia, Miguel Guilherme, Marcos Barbosa, Rui Mendes, Adriano Luz, António Pires, José Neves e Diogo Infante, Marco Medeiros, entre outros. Na área da música, como intérprete ou narrador, colaborou ainda com os Divino Sospiro, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra Gulbenkian, a Sinfónica do Porto e o Remix Ensemble na Casa da Música. Na qualidade de encenador, assinou a direcção cénica de Buenas Noches, Mi Amor, a partir de Al Berto (TNSJ, 1999), Transacções, de David Williamson (Teatro Maria Matos/Puras Visões, 2009), a leitura encenada do "Sermão de Santo António aos Peixes" do Padre António Vieira (Festival das Artes / Coimbra 2013) e "Neva" de Guillermo Calderón (2015 numa co-produção com Teatro Nacional São João), “Portugal, Meu Remorso” a partir da obra de Alexandre O’Neill (2015, Teatro São Luiz), “A Disputa” de Marivaux (2019, no Palácio Nacional de Queluz) e ainda “The Fog Machine e outros poemas para o teu regresso”, com texto de Gonçalo M.Tavares com o compositor e percussionista Nuno Aroso e “A Praia” de Peter Asmussen (numa co-produção entre o Teatro São Luiz e o Teatro São João). Em cinema, tem trabalhado com realizadores como João Canijo, Manoel de Oliveira, António Macedo, Pedro Sena Nunes, Edgar Pêra, Luís Filipe Rocha, Ruy Guerra, e Vicente Alves do Ó. As suas últimas aparições no cinema foram nos filmes Em Câmara Lenta, de Fernando Lopes, e A Vingança de uma Mulher, de Rita Azevedo Gomes (2012) e SNU de Patrícia Sequeira (2018). Em televisão, tem participado em séries e telenovelas. Na rádio foi co-responsável pelo projecto "Os Sons, Menina / Teatros Radiofónicos" como realizador e coordenador no âmbito de uma iniciativa do Teatro Nacional São João.
Foi apresentador e narrador da série documental “PLANETA A”, co-produzido pela RTP e Fundação Gulbenkian.

Prémios e distinções a estudantes

— Pedro Branco | Melhor estudante a terminar o 3.º ano no ano letivo 2021.2022

  • Hugo Rafael Silva Costa

— Ricardo Spratley | Melhor estudante a terminar o curso no ano letivo 2020.2021, com média igual ou superior a 16 valores

  • Leandro Alcibiades de Jesus González

— Menções de reconhecimento aos estudantes que se doutoraram no ano letivo 2020.2021

  • Vítor Alves 
    'Estilhaços do Espelho:

    o Jornal Arquitectos (1981-2015) como território da construção do arquitecto'
    Repositório Aberto U.Porto

  • Sónia Lamela
    'Granted Informality in Introverted Archipelagos
    – Everyday Urbanism in the Global South'

    Repositório Aberto U.Porto

Programa sujeito a alterações (sem aviso prévio).
Este evento é passível de ser registado e divulgado pela FAUP através de fotografia e vídeo.

A FAUP não emite declarações de presença ou assistência online do evento.

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2022 © Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Página gerada em: 2022-09-25 às 09:01:09 | Política de Utilização Aceitável | Política de Proteção de Dados Pessoais | Denúncias