Saltar para:
Logótipo
This page in english Ajuda Autenticar-se
FAUP
Você está em: Início > Cursos/CE > MIARQ > Informação para Candidatos

Mestrado Integrado em Arquitetura

Dados Gerais

Código Oficial: 9257
Sigla: MIARQ

Diplomas

  • Mestrado em Arquitetura (300 Créditos ECTS)
  • Licenciatura em Estudos de Arquitectura (180 Créditos ECTS)

Unidades Curriculares

Desenho 1

100103 - ECTS

A Disciplina de Desenho ao promover a representação e o conhecimento do mundo visível e das imagens mentais através do registo gráfico manual, tem os seguintes objectivos:
- Desenvolver no estudante a capacidade de observação, a habilidade e o conhecimento do acto do desenho e a sensibilidade aos valores plásticos e estéticos;
- Criar condições para que o estudante enfrente o acto de projectar com agilidade espontaneidade e consciência;
- Estimular a presença no acto projectual de componentes não sistemáticas, simbólicas e poéticas.
- Promover a satisfação e o conhecimento da necessidade e do prazer da representação; da expressão do número e da medida; da memória visual da realidade exterior e interior.
- Reconhecer que o desenho é a expressão gráfica de uma intencionalidade que deve procurar a sua matriz na realidade exterior e no património do Desenho e da Arquitectura;
- Entender que se aprende a desenhar desenhando e desenhando-se, isto é, a intencionalidade do desenho está, também, na matriz que é o autor.

Geometria e Arquitectura

100106 - ECTS

Conhecer os diferentes sistemas de representação, as suas propriedades e especificidades, como meio de leitura, construção e representação do espaço, do território ao objecto arquitectónico.

Saber utilizar ferramentas de modelação tridimensional para o mesmo fim.

História da Arquitectura Antiga e Medieval

200202 - ECTS

Compreender a amplitude conceptual e técnica das expressões arquitectónicas antigas e medievais, nas suas específicas dimensões territoriais e urbanas, formais e construtivas. 
Contribuir para o desenvolvimento de uma metodologia interrogativa introdutória ao estudo da História da Arquitectura, que constitua matriz para abordar o contexto histórico das unidades arquitectónicas, seja qual for o tempo e o espaço em que se inserem, nos alinhamentos de localização, função, forma, técnica, imagem, símbolo e significado. 

Projecto 1

100101 - ECTS

A cadeira, inserida num primeiro ano entendido como propedêutico, visa:

-a abordagem genérica da problemática da Arquitectura;
-o domínio dos instrumentos básicos da projectação;
-A iniciação à metodologia da composição espacial.

Teoria Geral da Organização do Espaço

100102 - ECTS

Familiarizar os alunos com o maior número de especificidades espaciais bem como com os diversos conceitos concorrentes para a sua caracterização: do "espaço natural" ao "espaço humanizado", do espaço urbano ao espaço arquitectónico.




Construção 1

200204 - ECTS

Estudar o espaço arquitectónico na sua dimensão construtiva, através da sensibilização e aquisição de conhecimentos científicos basilares sobre os materiais e as técnicas intervenientes nos processos construtivos.
Assegurar que esta aprendizagem, feita com base no estudo genérico do edifício, se torne suporte da instrumentação necessária à acção arquitectural prática e teórica, permanentemente referenciada ao contexto do lugar e ao sistema produtivo.

Desenho 2

200206 - ECTS

Desenvolver a prática do desenho - a singularidade da sua expressão e adequação individual (modos, técnicas, códigos e sistemas de representação) - no sentido de favorecer uma livre e eficaz construção de imagens na relação estreita com a concepção figural do projecto de arquitectura.

História da Arquitectura Moderna

300302 - ECTS

A História da Arquitectura tem de ser entendida enquanto arte que vai serenamente assumindo corpo científico, e não como um mero relato de edifícios, cidades, humanização da paisagem natural ou um relato de tudo quanto o Homem foi construindo com a necessidade básica de se proteger, de criar o seu HABITAT.
A História da Arquitectura Moderna tem por alvo o estudo da arquitectura que é genericamente abrangida pela arquitectura clássica. Dos fins da Idade Média até ao Neo-classicismo é o período visado por esta unidade curricular.

Os documentos da História da Arquitectura Moderna são privilegiadamente os testemunhos feitos de “pedra e cal”. A montante dos artefactos, reside uma das especificidades disciplinares da História da Arquitectura: perceber como o arquitecto/construtor, correspondendo às ideologias de cada época e utilizando os meios materiais de momento, soube lidar com o confronto entre o problema e a sua resolução.

Para o conhecimento da Arquitectura concorrem também os documentos escritos e desenhados dos quais, por vezes, se relevam dados susceptíveis de levantamento de outras hipóteses interpretativas, que não as convencionadas.


Projecto 2

200201 - ECTS

A estrutura vertical do Curso, na área de Projecto, propõe, para o 2º ano, a introdução às questões de metodologia de projecto e a continuação do processo de aprendizagem iniciado no 1º ano, desenvolvendo-se e consolidando-se as capacidades instrumentais e conceptuais para o exercício da projectação. Esta prática pressupõe a capacidade de experimentação e de síntese de diversos saberes convergentes no domínio da Arquitectura, a qual estará sempre subjacente em toda a proposta de forma arquitectónica.

O processo de projecto, no 2º ano, deverá incidir sobre a requalificação de uma área da cidade consolidada, facilmente identificável, com proposta de edifícios de dimensão e complexidade variáveis e com programa de equipamentos e restauração. Deverá ser privilegiada a análise do conjunto edificado, do espaço público e da cidade, recorrendo ao apoio da história da arquitectura e da cidade e às metodologias de análise arquitectónica, com o objectivo de que cada aluno construa e fundamente a sua leitura do lugar. Neste contexto, a relação arquitectónica entre novo e antigo, entre proposto e pré-existente, bem como a relação entre linguagem arquitectónica e sistemas construtivos serão objecto de reflexão durante as diversas fases de desenvolvimento do trabalho prático. O processo de observação do contexto da intervenção deverá conduzir à identificação e caracterização dos diversos elementos e formas arquitectónicas que constituem o lugar do projecto e o seu significado na história da cidade visando a fundamentação objectiva de cada proposta de transformação. Esta deverá resultar de um processo em que o conhecimento do lugar e a capacidade crítica e criativa do aluno revelem um progressivo enriquecimento na fundamentação da proposta e no seu desenho.

Será, ainda objectivo desta disciplina aprofundar a caracterização global do campo em que o arquitecto exerce a sua actividade profissional.

Teoria 1

200203 - ECTS

Os objectivos e competências/aptidões resultantes da U.C. de “Teoria 1” compreendem o seguinte:

1 - Familiarizar o aluno com a área da Teoria de Arquitectura, entendendo tanto a sua especificidade como as interacções que estabelece com as outras áreas disciplinares (i.e. Projecto, História, Construção, Urbanismo).

2 - Familiarizar os alunos com uma sequência de movimentos teóricos, linguagens arquitectónicas e pensadores-arquitectos, que marcaram o desenvolvimento da disciplina em geral e da área da Teoria em particular.

3 - Desenvolver conhecimentos gerais, capacidade crítica e interesses pessoais, que apoiem o aluno nas suas práticas arquitectónicas e experiências projectuais.

 

 

 

Antropologia do Espaço

10125C1 - ECTS

Conhecimento dos principais paradigmas sócio-antropológicos de análise das questões espaciais e do território; identificação e conhecimento dos quadros de relação estrutural entre morfologia espacial e morfologia sócio-cultural; mobilização das implicações teórico-práticas mais relevantes das relações entre morfologia espacial e sócio-cultural tendo presente a realidade social portuguesa.

Geografia

20203A2 - ECTS

 

 

O percurso epistemológico da Geografia Humana tem, como noutras Ciências Sociais, seguido uma evolução muito rápida e de sentidos diversificados: mudam as dinâmicas sociais e muda-se o modo de apropriação e de transformação do território. Esta questão obriga não só a rever constantemente os suportes teóricos e conceptuais da Geografia, como também a actualizar o conhecimento sobre a realidade empírica, no caso, de Portugal.

 

 

 

Em geral, os alunos do curso de Arquitectura possuem uma formação muito deficiente em Geografia, situação que se complica quando essa ausência é preenchida por informação muito pouco rigorosa, superficial e de “senso comum”. Para além disso, o corpo disciplinar da Geografia (Física e Humana) é extremamente vasto e conhece cada vez mais especializações e áreas de interesse partilhadas por outros saberes. Na impossibilidade da cadeira de Geografia cobrir esta lacuna, é contudo possível centrar os objectivos em alguns campos de interesse que a Geografia, o Urbanismo e a Arquitectura partilham.

 

Grandes Projectos Urbanos

20204A2 - ECTS

É objectivo desta unidade curricular estimular a compreensão, no âmbito dos grandes projectos urbanos, dos problemas de escala nas intervenções, do papel dos agentes de transformação urbana, da questão do valor do solo e da importância do "project financing".


Opção U.Porto (Urbanistica)

2UP2 - ECTS

Geografia

20203A2 - ECTS

Grandes Projectos Urbanos

20204A2 - ECTS

Introdução ao Paisagismo

20202A2 - ECTS Familiarizar os alunos com a profissão e disciplina de arquitectura paisagista.

Clarificação dos domínios do vocabulário corrente da disciplina assim como os princípios orientadores das intervenções.

Conhecimento de metodologias base e das várias fase e componentes de um projeto de arquitetura paisagista

Conhecimento das diversas escalas de trabalho - do ordenamento da paisagem ao projecto de pequenas dimensões.

Conhecimento de algumas das principais obras e projectos.

Conhecimentos básicos de representação cartográfica do território e paisagem.

Opção U.Porto (Urbanistica)

2UP2 - ECTS

Construção 2

300304 - ECTS

É objectivo desta disciplina a introdução à temática da construção de edifícios, principalmente a compreensão da física das construções que fundamenta o exercício do projecto na sua passagem de projecto a obra.
Pretende-se que o aluno tome conhecimento sobre os seguintes temas: Projecto e inovação; sistemas e elementos de construção; elementos que compõem o edifício, funções e exigências; tipos de materiais, sua aplicação e comportamento; os intervenientes na construção, função e responsabilidade; a obra e a construção de um edifício, faseamento e gestão de uma obra; o quadro legal que regula a construção de edifícios.

História da Arquitectura Contemporânea

500502 - ECTS A Unidade Curricular História da Arquitectura Contemporânea tem como objectivo o conhecimento crítico da arquitectura da Idade Contemporânea, considerada como aquela que se inscreve no período que tem início no fim da arquitectura barroca e que se prolonga até à actualidade.
Em meados do século XVIII, o nascimento da arqueologia científica (com a separação entre arqueólogo e arquitectos) e o alargamento das fontes da Antiguidade Clássica, que deixam de estar subordinadas ao predomínio da arquitectura romana, têm um papel importante na alteração do modo como é entendida a relação da arquitectura com o seu passado. A procura das origens como fundamento do conhecimento, a reorganização da cidade industrial, a abstracção e a formação do movimento moderno, a posterior discussão dos seus fundamentos, etc., indiciam a pluralidade de motivos que se cruzam neste período. A data de 1750, escolhida como um início possível para o período em estudo, é a da publicação por Denis Diderot, do "Prospecto" da Enciclopédia, obra que iniciaria a sua publicação no ano seguinte.
Nas aulas teóricas, a exposição diacrónica das arquitecturas mais relevantes do período em estudo abordará os seus motivos conjunturais, bem como as suas precedências e consequências num tempo mais longo. Procurar-se-ão também as correspondências com a arquitectura portuguesa, relevando as suas circunstâncias particulares.
Uma obra da arquitectura portuguesa contemporânea, escolhida pelos alunos, será o tema do trabalho prático de grupo, desenvolvido ao longo do ano lectivo com acompanhamento tutorial. Devem ser aprofundados os motivos que estão na origem da escolha inicial, propondo, a partir do debate contemporâneo, relações novas que problematizem o seu conhecimento.
No Caderno de campo são montadas, depois de recolhidas, as imagens fotográficas resultantes das visitas às obras realizadas durante o ano lectivo. Este Caderno deverá ser um complemento das aulas teóricas, mas também o registo/descoberta daquelas relações formais e espaciais entre arquitecturas diferentes que se vão revelando ao longo do ano no estudo da obra que é o tema do trabalho prático de grupo.

Projecto 3

300301 - ECTS

A Unidade Curricular de Projeto 3 assume como adquirida uma relativa segurança das competências metodológicas e do manuseamento das técnicas de projeto, necessariamente adquiridas nos anos anteriores, competindo-lhe testá-las e desenvolvê-las de forma a colocar os conhecimentos e a experiência dos estudantes num patamar superior de capacidades e exigências.

Sob o tema genérico da habitação plurifamiliar e com a cidade como enquadramento e referente, serão propostos e efetuados um conjunto de exercícios potenciadores de experimentação, de reflexão e de incremento da capacidade de materialização projetual, alargando conhecimentos sobre Projecto e sobre Arquitectura.

Trata-se, primeiro que tudo, de fazer a abordagem geral dos temas e problemas da habitação plurifamiliar, entendidos como reflexão sobre os modos de habitar, como ensaio de definição de programas e elaboração de espaços-células que os reflitam, assim como o estudo dos modos e estratégias da associação destas células mediante sistemas e disposições que constituam uma articulação eficaz e potenciadora, suscetível de aportar claras mais-valias relativamente à residência individual. Procura-se ainda, mediante o estudo dos fogos, dos sistemas de distribuição, das associações em módulos e da conformação do edifício, tornar esclarecidas e consistentes as opções tipológicas possíveis. Trata-se também de o fazer num contexto urbano, obrigando a estudar e a compreender os processos e elementos de formação dos tecidos urbanos e da definição das suas morfologias, explorando as vias pelas quais a realização de um programa habitacional substancial define, constitui, altera ou reconstrói novos tecidos urbanos. Deste modo, a integração das duas vertentes permite refletir e compreender a interdependência e a relação dialética entre a inserção urbana, a morfologia urbana e a tipologia edificatória habitacional.

Os exercícios previstos visam igualmente fazer avançar a experiência e as competências de projeto dos estudantes em três linhas fundamentais: em primeiro lugar na vastidão e complexidade dos problemas, com a introdução progressiva de condicionantes programáticas, urbanísticas e legais que interferem com os processos de definição da forma exercitados nos anos anteriores. Em segundo, nas dificuldades específicas e no potencial que o trabalho de articulação simultânea de escalas proporciona, desde a 1/1000 à 1/2, isto é, verificando as interdependências e recíprocos estímulos entre a dimensão urbana e o desenho global, ou mesmo de pormenor, dos edifícios. Em terceiro, não menos importante, ao tratar intensamente os aspetos construtivos, quer na sua lógica geral quer na sabedoria do detalhe, os estudantes têm oportunidade de perceber que estes terão de materializar de modo rigoroso a forma-construção pretendida, constituindo, mais que um mero acrescento de informação, parte essencial do trabalho da definição da forma-expressão da arquitetura, constituindo uma oportunidade de síntese entre linguagem e construção, com implicações e com repercussão nas escalas maiores e em todo o resultado final.

O quadro geral destes exercícios é relativamente conservador. Entende-se que a abordagem do tema da habitação plurifamiliar e a fase da aprendizagem da disciplina em que se encontram os estudantes, justifica mais uma experiência de 'qualificação-do-corrente', do que a experimentação da excecionalidade ou o exercício da especulação programática, funcional ou formal —sem com isto as desdenhar—, antes com a consciência de que nele todos os estudantes podem, sem limitação de grau de qualidade ou profundidade, ganhar forças para outras exigências.

Teoria 2

300303 - ECTS

"A arquitectura não é uma árvore, antes um acontecimento resultante do cruzamento de forças capazes de dar lugar a um objecto, parcialmente significante, contingente". Explicação a que, numa crítica à leitura convencional do mito da cabana primitiva – na origem da arquitectura segundo Vitruvio –, Solà-Morales acrescentou anos mais tarde: "aquela construção [cabana primitiva] não se definia [segundo Vitruvio] pela materialidade dos seus componentes físicos, antes pelo facto de que a arquitectura era, devia ser, o lugar no qual se produziria o nascimento do fogo e da palavra. Portanto, nenhuma coisa física, material, tangível, antes a imaterialidade da energia e da comunicação são, desde Vitruvio, os verdadeiros materiais da arquitectura”.
"O que é a arquitectura?". "A infinita repetição da pergunta!" Talvez técnica, talvez arte, talvez processo ou talvez tão só expectativa de sondar, experimentar, determinar, evolucionar gesto e jogo que traduzem, geram, intencionam casa e construção: forma, material, imagem, experiência, artíficio.

Um projecto-de-arquitectura reside na viagem e no recolhimento de um aprender-conhecer para transformar a realidade que o provoca, que o informa, que o desperta, que o move.
Incêndio, clarão, cinza; em movimento, em repouso, um projecto-de-arquitectura:     

  1. i) faz-se iluminação da coerência aventurosa que caracteriza o praticar da arquitectura: projectação, investigação, escrita – palavra e desenho, experiência e jogo;
  2. faz-se memória, destino, paixão – conhecimento, obra, reparação.

Presente a condição e o sentido de estação – movimento e acontecimento em que evolui a intersecção ‘problemática arquitectural | acto arquitectónico’ –, são objectivos:

  1. ensinar-aprender aprendendo sobre a possibilidade da instrução teórica e da conjectura crítica como auxiliares vivificadores do desenho, da composição; do acontecimento projectual, do conhecimento disciplinar;
  2. estudar e participar do processo da arquitectura enquanto encontro controverso entre experiência artística e prática disciplinar – criação, pensamento, conhecimento;
  3. promover construções de pensamento mediadoras na acção projectual, tendo consciência que “todo o conflito é sobre projectos e não sobre aquela ou aqueloutra disciplina” (Bragança de Miranda).

Assim mobilizada, a interrogativa “o que é a arquitectura?”, a sua oportunidade, a sua pertinência e a sua simplicidade residem, pois, no passar do dizer ao fazer, na leveza e na hospitalidade de cada processo de síntese entre a ideia e a sua expressão formal-material.

Urbanística 1

300305 - ECTS

A disciplina de Urbanística 1 propõe uma reflexão acerca dos significados inerentes aos contextos e processos de conformação e evolução da cidade e dos territórios da urbanização, observando os resultados dos diversos modelos, formas e escalas de actuação, no quadro dos respectivos agentes e pressupostos técnicos e operativos.
A compreensão da (intervenção na) cidade e território pressupõe naturalmente uma abordagem interdisciplinar e a correcta interpretação das relações entre as práticas urbanísticas e as estruturas físicas, sociais, económicas e políticas, as suas regras e características intrínsecas, identificando os factores de permanência e as dinâmicas de modificação inerentes aos próprios factos e processos a reconhecer.
Procura-se uma percepção objectivada e coerente dos fenómenos urbanos como resultantes e/ou determinantes da interacção entre programas, planos e projectos (de espaços públicos, de infra-estruturas e de arquitectura), das suas formas de concreção, articulação e gestão, sobretudo com a generalização das acções de planeamento urbano e territorial agregadores de diversas áreas de conhecimento científico.

Arquitetura e Desenho 1

30318B3 - ECTS

Verifica-se hoje, entre os estudantes, uma notória dificuldade em identificar, observar, anotar e reter, com rapidez e eficiência, muitos dos factos e formas estruturantes na composição de uma obra arquitectónica. De modo a complementar a percepção fugaz potenciada pela celeridade dos meios de difusão de imagens arquitectónicas correntes na internet, perdendo-se o processo lento de apreensão e o hábito de “estudo de projecto”, interessa, enquanto objectivo pedagógico, fomentar a capacidade de concentrar o olhar sobre os factos relevantes de uma imagem, de um desenho ou de um comentário, com acuidade e eficácia. Consequentemente, o objectivo da UC é ajudar a criar e desenvolver a capacidade de observar, destacar e compreender (e representar, pelo desenho rápido), os significantes arquitectónicos essenciais à análise de projecto.

CAAD 1

30306B3 - ECTS O objectivo de CAAD I no 1º Semestre (1º Ciclo) é o de desenvolver bases teórico-práticas, no universo das estratégias de comunicação de projecto de arquitectura numa fase inicial do seu desenvolvimento (análise do território de intervenção, comunicação, conceitos, modelos, organogramas, representações esquemáticas, implantação e volumetria), com enfoque nos programas informáticos de síntese de Imagem, Fotografia e Design Gráfico aplicados à Comunicação e Representação de Projecto de Arquitectura (PA), com especial incidência para os momentos de síntese e apresentação de com especial incidência para os momentos de síntese e apresentação das fases iniciais do processo de PA.

Figura Humana e Representação do Espaço 1

30314B3 - ECTS

Pretende-se que o aluno adquira competências técnicas e expressivas nos domínios do desenho da figura humana e da representação do espaço. 

Pretende-se promover percursos de pesquisa pessoais que assegurem a prática do desenho enquanto relação dialógica e estruturante da imaginação e do pensamento.

Geometria Construtiva 1

30312B3 - ECTS

O objectivo das disciplinas de Geometria Construtiva consiste na investigação do papel da geometria nos processos generativos e construtivos em arquitectura, explorando a sua relação com as tecnologias digitais emergentes. Complementando os conhecimentos adquiridos em Geometria do 1º ano, a unidade curricular do primeiro semestre de Geometria Construtiva 1 (GC-1) introduz a investigação de novos temas com forte implicação no desenho e na caracterização do espaço arquitectónico.

O desenvolvimento do programa de GC-1 é realizado através da exploração prática do uso do computador, entendido simultaneamente enquanto meio de:
- representação geométrica (desenho e modelação);
- cálculo e computação geométrica (desenho paramétrico e algorítmico);
- materialização física (fabrico digital).


Opção U.Porto (Desenho)

3UP3 - ECTS

Arquitetura e Desenho 2

30319B3 - ECTS

Verifica-se hoje, entre os estudantes, uma notória dificuldade em identificar, observar, anotar e reter, com rapidez e eficiência, muitos dos factos e formas estruturantes na composição de uma obra arquitectónica. De modo a complementar a percepção fugaz potenciada pela celeridade dos meios de difusão de imagens arquitectónicas correntes na internet, perdendo-se o processo lento de apreensão e o hábito de “estudo de projecto”, interessa, enquanto objectivo pedagógico, fomentar a capacidade de concentrar o olhar sobre os factos relevantes de uma imagem, de um desenho ou de um comentário, com acuidade e eficácia. Consequentemente, o objectivo da UC é ajudar a criar e desenvolver a capacidade de observar, destacar e compreender (e representar, pelo desenho rápido), os significantes arquitectónicos essenciais à análise de projecto.

CAAD 2

30307B3 - ECTS

O objectivo da unidade curricular de CAAD II no 2º Semestre (1ºCiclo) é o de aprofundar o desenvolvimento de bases teórico-práticas no universo dos programas informáticos de síntese de Imagem, Fotografia e Design Gráfico aplicados à Comunicação e Representação de Projecto de Arquitectura (PA), iniciada em CAAD I.  É introduzida uma componente de fotografia, articulada com a componente de fotomontagem e concepção produção de um fotolivro.

 

 

Figura Humana e Representação do Espaço 2

30315B3 - ECTS Adquirir competências técnicas e expressivas nos domínios do desenho da figura humana e da representação do espaço. Desenvolver a prática do desenho de figura humana na sua relação com o espaço. Aprofundar, através das imagens do desenho, o entendimento das relações existentes entre corpo e espaço
Em suma, trata-se de promover percursos de pesquisa pessoais que assegurem a prática do desenho enquanto relação dialógica e estruturante da imaginação e do pensamento.

Geometria Construtiva 2

30313B3 - ECTS O objectivo das disciplinas de Geometria Construtiva consiste na investigação do papel da geometria na arquitectura, explorando a sua relação com as tecnologias digitais emergentes. A unidade curricular do segundo semestre de Geometria Construtiva 2 (GC-2) amplia os conhecimentos adquiridos na disciplina homóloga precedente, investigando temas geométricos de maior complexidade com forte implicação nos processos generativos e construtivos em arquitectura.

O desenvolvimento do programa de GC-2 é realizado através da exploração prática do uso do computador, entendido simultaneamente enquanto meio de:
- representação geométrica: desenho e modelação;
- cálculo e computação geométrica: desenho paramétrico e algorítmico;
- materialização física: fabrico digital.


Opção U.Porto (Desenho)

3UP3 - ECTS

Construção 3

400405 - ECTS a) Promover a compreensão do objecto como corpo físico edificado na perspectiva de transformar o discurso sobre os materiais e os sistemas construtivos numa componente essencial do processo de Projecto.
b) Desenvolver a capacidade de entendimento da aproximação entre as ideias de Arquitectura e Construção.
c) Aprofundar os conhecimentos adquiridos nos anos anteriores relativos a materiais e sistemas construtivos, desenvolvendo a qualificação técnica do desenho.
d) Valorizar os meios de comunicação à Obra, na perspectiva da integração operativa dos conhecimentos adquiridos na prática do Projecto.
e) Identificar a disciplina com a prática do Projecto Integrado, cruzando as informações dos projectos de especialidades complementares, na óptica da interdisciplinaridade que informa o acto criativo como processo de síntese.

História da Arquitectura Portuguesa

400402 - ECTS A unidade curricular tem como objectivo a aquisição do conhecimento da arquitectura portuguesa, incluindo na consideração de referências a arquitecturas de outros espaços ibéricos, europeus e do Mediterrâneo (e de outras partes do mundo), que habilitem a compreender o encontro de culturas e a interpretar sinais de especificidade e identidade da arquitectura portuguesa.

Projecto 4

400401 - ECTS

Objectivos

É objectivo da Disciplina a consolidação metodológica dos processos de projecto. Entende-se que tal consolidação se deverá fazer e verificar em exercícios de complexidade variável, assumindo como dominante o tratamento e desenvolvimento de uma solução para um Tema que, implicando um trabalho de síntese arquitectónica nas suas componentes programáticas, contextuais, funcionais, construtivas e formais,  permita ao aluno o aprofundamento dos conhecimentos indispensáveis à formalização de uma resposta projectual.

Sistemas Estruturais

400404 - ECTS A compreensão clara dos princípios e métodos que presidem à definição da solução estrutural, no âmbito do projecto arquitectónico de edifícios, constitui o objectivo primordial da unidade curricular de SISTEMAS ESTRUTURAIS. Pretende-se, assim, a partir de um conhecimento relativamente aprofundado do comportamento mecânico dos principais tipos de elementos estruturais, dotar o aluno de um conjunto de princípios orientadores da concepção estrutural, bem como fornecer-lhe métodos simplificados de análise estrutural e regras simples de pré-dimensionamento que possibilitem uma verificação expedita e fiável da solução adoptada.

Teoria 3

400403 - ECTS 1 Desenvolver a autonomia necessária à identificação de campos pessoais de investigação.
2 Informar e desenvolver métodos de análise crítica relativos ao Espaço Público, em busca da sua definição como categoria arquitectónica, isto é, como Forma Espacial regida pelos princípios da implantação, proporção e construção, determinados pelos valores sociais, pelo estado da arte e pela natureza.
3 Promover, especificamente, o conhecimento teórico - crítico favorável à formulação de estratégias de projecto de Espaços Públicos significantes, inclusivos de todas as outras formas edificadas (das Formas dos Equipamentos, às de Residência, de Trabalho ou Lazer) e das Infra-estruturas Urbanas.
4 Promover a investigação experimental e elaboração própria como condições essenciais para formulação de teoria, praticadas com instrumentos e métodos disciplinares (desenho manual e em computador, medida, cálculo, fotografia, tratamento gráfico de imagem e texto), com pesquisa bibliográfica e iconográfica, eventualmente, localização e recolha de informação original (consulta de arquivos, entrevista pessoal).
5 Actualizar o conhecimento sobre a organização física do Espaço Público, através de levantamento sistemático de casos reais, nacionais ou estrangeiros como exercício de averiguação metódica de princípios universais da Arquitectura e de razões circunstanciais.
6 Nesta unidade curricular, o uso das novas tecnologias para elaboração, registo, apresentação e arquivo dos resultados, tem em vista desenvolver competências ao nível da actualização instrumental e da comunicação, debate e trabalho colectivo e ainda a constituição de um espólio de casos estudados susceptível de consulta, divulgação e desenvolvimento futuros.
É privilegiada a investigação sobre um espaço público livremente escolhido por cada aluno mas obrigatoriamente visitado, em que compareçam diversas formas construtivas do equipamento colectivo à habitação, dos lugares de trabalho aos de lazer.
Reconhecendo-se que, no âmbito da investigação disciplinar em arquitectura, predominam tipos de conhecimento e raciocínio específicos das disciplinas artísticas, mormente os projectivos e sintéticos, entre as opções de caso de estudo incluem-se os espaços públicos abrangidos no programa da disciplina de Projecto que o estudante se encontre a frequentar e consideram-se como resultados, pertinentes no âmbito da Teoria da arquitectura, as propostas da sua transformação.

A Urbanização da Pobreza

50135C5 - ECTS

Neste momento, mais de metade da população mundial habita em áreas urbanas, sendo que cerca de um quarto desse número reside em condições de precariedade extrema e uma porção adicional enfrenta lacunas relevantes no seu habitat. As estimativas parecem apontar para que essa percentagem tenha diminuído, mas os números terão aumentado, sendo que a iniquidade de rendimentos económicos também se terá acentuado, em especial nas economias tidas como mais desenvolvidas.

Desta forma, o debate em torno da equidade constitui uma questão de escala global, dos países do Norte aos do Sul, sendo que a actuação no ambiente construído em prol de espaços mais equitativos e do acesso democrático aos recursos urbanos constitui, cada vez mais, um desafio para arquitectos e urbanistas.

Perante as mais recentes e contrastantes dinâmicas globais de urbanização, e os actuais desafios profissionais colocados a nível internacional, pretende-se com esta unidade curricular criar um campo de discussão teórica e prática em torno da espacialização da pobreza e das disparidades nesse processo de urbanização, das preocupações sociais no campo disciplinar da arquitectura e do urbanismo, assim como das limitações e potencialidades das políticas redistributivas, de interesse social e de gestão equitativa do ambiente construído.

Assim, propõe-se aqui o estudo das disparidades nos processos de produção e gestão do ambiente construído, nomeadamente discutindo a visibilidade e o papel das faixas populacionais de menores rendimentos económicos, tanto focando nos contextos não-ocidentais (nas experiências da América Latina, Ásia e África) como nas áreas críticas dos contextos ocidentais (na evolução das políticas de interesse social e na sua situação actual).

Pretende-se portanto estabelecer um entendimento alargado das questões relacionadas com o processo de urbanização, através não só da discussão de condições extremas de disparidades e/ou limitação de recursos, mas também de enquadramento em mecanismos de gestão de múltiplos actores. Nestes contextos, o exercício profissional do arquitecto/urbanista raramente é colocado apenas numa relação cliente – prestador de serviços, mas multiplicam-se antes os intervenientes no processo de decisão, englobando recorrentemente entidades tais como estruturas públicas de regulação do território e de interesse social (a nível central, municipal e/ou local), financiadores externos, agências internacionais, organizações não-governamentais, associações locais e/ou habitantes, colocando o arquitecto/urbanista no papel de mediador e facilitador.

Propõe-se assim a construção de um olhar informado sobre realidades paradoxais, discutindo metodologias e instrumentos de intervenção, constrangimentos e potencialidades, experiências e orientações estratégicas de trabalho em equipas alargadas.

Architectural Toys - Processos Complementares de Reprodução Disciplinar em Arquitectura

50128C5 - ECTS

O principal objectivo da unidade curricular Architectural toys - Processos complementares de reprodução disciplinar em Arquitectura é desenvolver junto dos alunos competências de compreensão e de concepção no âmbito da reprodução disciplinar da Arquitectura. Desde os processos educativos genéricos, até aos métodos de ensino universitários é pedido aos alunos que formulem uma abordagem histórica e crítica para compreender as diferentes formas que a disciplina encontrou, ao longo dos tempos, para permear a educação do sujeito, desde a infância até à vida adulta.

Arquitectura, circunstância e manifesto. Projecto, investigação, intervenção

50132C5 - ECTS

"Que diferença entre um pilar de pedra de um dólmen e uma coluna de cimento armado. Enquanto naquele tudo é natureza neste tudo é homem. Enquanto naquele a interferência do homem como ser pensante (e não propriamente como ser dotado de força motriz) é nula, esta é o resultado de um estudo e de um cálculo que representa um apogeu na história do homem".
(Fernando Távora)

Um projecto-de-arquitectura faz-se iluminação da coerência aventurosa que caracteriza a prática da arquitectura: projectação, investigação, escrita – palavra e desenho, experiência e jogo, voz e reparação.
Na perspectiva, visa-se: estudar e participar da evolução da arquitectura enquanto encontro controverso entre prática disciplinar e experiência artística – criação, pensamento, conhecimento.

Arquitectura do Espaço Público

50129C5 - ECTS

1 Abordagem teórico-prática ao Espaço Público como entidade arquitectónica em que comparecem todos os tipos de construções, Infra-estruturas urbanas e formas naturais.
2. Enquadramento da Arquitectura do Espaço Público na História das formas significantes, socialmente inclusivas e sustentáveis.
3. Investigação experimental e elaboração própria praticadas com instrumentos e métodos disciplinares da arquitetctura (desenho manual /computador e modelo, sujeitos a medida, geometria e meios de construção); fotografia, bibliografia e outra iconografia correctamente licalizados e creditados.
4. Escolha de argumentos críticos para arquitectura do Espaço Público suportados pelo caso experimental desenvolvido.
5. O Caso de estudo será escolhido entre propostas apresentados pelo professor, como trabalho individual e/ou com a constituição de grupos.

Arquitetura e Cinema

50137C5 - ECTS

A Unidade Curricular procurará sistematizar as afinidades em torno da arquitectura e do cinema. Será explorada a forma como o espaço arquitectónico e urbano, real ou encenado, é um elemento constituinte do cinema, assim como serão analisadas as múltiplas dimensões em que o cinema pode ser encarado como uma ferramenta no processo criativo, na percepção e na disseminação da arquitectura.

Será estudada a forma como as imagens em movimento têm a capacidade de criar um ‘sentido de lugar’, fenómeno relacionado não apenas com a realidade física dos espaços filmados, mas igualmente com a ligação vivencial que o espectador estabelece com a luz, o som, a mise-en-scène ou estrutura narrativa. O cinema representa os espaços arquitectónicos como lugares ‘habitados’, estimulando, assim, um debate intenso em torno da arquitectura e da vida urbana.

Arquitetura: Processos de transformação no ensino/aprendizagem

50138C5 - ECTS Objecto
Processos de transformação no ensino superior científico-artístico – Porto/Portugal: 1950/2016.

Enquadramento/Objectivos
Esta unidade curricular do MIARQ surge da necessidade de se aprofundar um campo de reflexão teórica sobre o binómio Arte/Ciência na equação ensino/aprendizagem de nível superior em Portugal.

Considerando os processos de investigação desenvolvidos pelos seus responsáveis no âmbito dos estudos conducentes à realização de tese de doutoramento e no contexto de um núcleo multidisciplinar e transdisciplinar estabelecido entre as Faculdades de Arquitectura, Belas Artes e Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto pretende-se ampliar o conhecimento científico produzido e, conjugando-o com as práticas pedagógicas e didácticas próprias de uma fase de conclusão de um segundo ciclo de estudos, constituir-se numa linha integrada de estudos interdisciplinares.

Decorrendo de uma necessidade objectiva de contribuir para a fixação da memória colectiva, a propósito da formação e consolidação da “Escola do Porto” e das instituições que, a partir dela, se formaram, considerando contextos nacionais e internacionais, as suas intersecções e interferências próprias e as que, especialmente após a implementação da “Reforma de 1957”, foram criando diferentes formas de afirmação na academia e na sociedade em geral, nos planos académico, profissional, social e político, revisitando o passado na medida das interrogações da contemporaneidade, julga poder ampliá-la pela informação e interpretação dos estudos que possam resultar do trabalho curricular.

Observando a actual oferta formativa no contexto da FAUP e da UP e as possíveis vantagens em combinar estudantes de diferentes formações de base para se construir conhecimento específico num registo interdisciplinar, pretende enriquecer os seus currículos possibilitando-lhes a opção de desenvolver estudos especializados no plano dos últimos dois anos do MIARQ, orientar-lhes as opções conducentes à elaboração dos seus processos de tese ou projecto final e, abrindo-lhes perspectivas na área disciplinar da Arquitectura e das transversalidades com áreas que lhe são afim, motivá-los para a frequência de cursos de 3º ciclo ou para a carreira de investigação.

Por último, é objectivo desta UC contribuir para a compreensão da situação contemporânea a propósito do estudo, entendimento e interpretação dos processos de transformação no ensino superior científico-artístico em Portugal (1950/2016).

Comunicação, Fotografia e Multimédia

50118C5 - ECTS

Os objectivos gerais da disciplina são os de (1) desenvolver bases teóricas e práticas sobre a aplicação da fotografia como instrumento e suporte para a comunicação e representação da Arquitectura, Cidade e Território e (2) despertar a consciência dos alunos para o estudo e a aplicação de métodos de investigação qualitativos e quantitativos sobre o espaço público e sua representação e comunicação.
Num primeiro tempo os alunos são levados a analisar, questionar e problematizar o espaço público e a sua arquitectura, explorando o potencial da fotografia e da acessibilidade e interactividade na Internet para a comunicação e percepção desse espaço e das suas vivências. No fim do semestre, os alunos tomam conhecimento da existência de diversos métodos de investigação quantitativos e qualitativos que podem ser utilizados para aprofundar, mais tarde, o estudo realizado nesta disciplina.
O intuito é o de criar um portfolio na Web, constituído por imagens e texto,
que dê suporte a um conjunto de ideias capazes de formular uma posição, argumento ou história sobre uma determinada problemática do espaço que está a ser estudado.
Este portfolio pode ser utilizado, posteriormente, como base para um trabalho de conclusão do segundo ciclo do curso cujo tema deverá ser relacionado com Fotografia e Media digitais aplicados à investigação do espaço público. O trabalho de investigação individual do aluno terá, preferencialmente e sem prejuízo de outras orientações, o acompanhamento dos docentes responsáveis da disciplina de CFM.

Economia Urbana

50123C5 - ECTS

A disciplina de Economia Urbana pretende introduzir uma abordagem teórica de alguns temas recorrentes da análise urbana numa perspectiva que permita enquadrar as condicionantes colocadas pela estrutura económica da sociedade à intervenção na cidade e as questões que derivam da interacção do sistema urbano com o sistema económico.
O desenvolvimento dos temas escolhidos será subordinado à óptica proposta pela teoria económica, utilizando conceitos disciplinares que permitam definir as categorias económicas que se pretendem identificar como elementos de caracterização do processo de transformação urbana na sociedade contemporânea.

Estudos Críticos Álvaro Siza

50126C5 - ECTS

Estudar vários temas de Arquitectura e/ou Desenho Urbano a propósito da obra de Álvaro Siza, tentando fazer coincidir, numa perspectiva de I&D, o curso-opção semestral com possibilidade de construção de uma colecção de Publicações científicas, próprias da FAUP, que se constituirão num contributo da Faculdade para o progresso do conhecimento, com reflexos que ultrapassarão (ainda que o englobando) o grupo de alunos que se venha a inscrever na disciplina.


História da Cidade do Porto

50131C5 - ECTS

Identificar e compreender o processo histórico de formação e consolidação física da cidade do Porto, entre tempos de fundação e de refundação urbana, integrados no contexto nacional e internacional.

Desenvolver uma metodologia de confronto histórico explicativo das diversas unidades urbanas que integram a cidade, entre o “saber ver” e o “saber compreender”, que se constitua como narrativa histórica e arquitectónica no confronto da cidade do Porto e de outras cidades europeias (explorando as origens dos alunos Erasmus).

Instalações Urbanas

50120C5 - ECTS

Adquirir um conjunto de conhecimentos técnicos básicos relacionados com as infra-estruturas urbanas necessárias para a realização de uma intervenção no espaço urbano.

Desenvolver uma primeira abordagem à concepção e dimensionamento de arruamentos e praças em meio urbano, percebendo as dificuldades topográficas e de integração ambiental, paisagística e nos elementos do património construído.

 

Paisagismo

50122C5 - ECTS

Pretende-se que os alunos adquiram um número vasto de conceitos e fundamentos de trabalho relacionados com a arquitetura paisagista e o espaço exterior, quer numa perspetiva de projeto, descrevendo acções do homem sobre o território, quer numa perspectiva prospectiva que relaciona as acções projetadas com as alterações de funcionamento das paisagens e dos ecossistemas em que se inserem.

 

Pretende-se ainda desenvolver temáticas contemporâneas do desenho e sustentabilidade do espaço urbano bem como a crítica de projeto.

Património Arquitectónico

50134C5 - ECTS

Na área da reabilitação do património da arquitectura e da cidade, incluindo a herança do Movimento Moderno, é objectivo desta disciplina transmitir conhecimentos, estimular o debate e promover metodologias de análise e de pesquisa sobre práticas e teorias dominantes no âmbito das intervenções no património arquitectónico e urbano. Interessará, portanto, desenvolver investigação no sentido de se identificar e caracterizar o lugar do património arquitectónico na contemporaneidade.

 

 

 

Projecto BIM

50130C5 - ECTS

1. Promover, experimentar e desenvolver o conhecimento teórico-prático da metodologia BIM – building information modelling compreendendo os conceitos basilares da mesma, na realização do Projeto de Arquitectura entendida como um processo para a inovação, investigação, gestão e construção da Arquitectura.

2. Promover a investigação da Arquitectura através da elaboração e prática do projeto, simulando um contexto real de prática colaborativa e pluridisciplinar.

3. Reunir o conhecimento sobre a aplicação da metodologia BIM no contexto internacional nas diversas áreas da AEC (arquitectura, engenharia e construção) analisando experiências em contexto empresarial bem como casos práticos reais e avaliação das vantagens e desvantagens da aplicação da metodologia na produção de uma ideia de Arquitectura.

4. Nesta unidade curricular, o estudante deverá ser capaz de utilizar as ferramentas ao seu dispor (livre escolha de softwares e métodos de investigação) de modo a aplicar a metodologia BIM no desenvolvimento de um trabalho prático de projeto a realizar pelo aluno e num estudo de caso aplicado a uma construção existente.

Reabilitação de Edifícios

50119C5 - ECTS

São objectivos da UC: sensibilização para a necessidade de preservar e reabilitar o património edificado, alertando para as causas mais correntes de patologias associadas à incorreta definição de Projecto e deficiências de execução/uso e, por último, auxiliar no desenvolvimento de capacidades análise, diagnóstico e estabelecimentos de soluções de reabilitação.

Arquitectura do Espaço Público

50129C5 - ECTS

1 Abordagem teórico-prática ao Espaço Público como entidade arquitectónica em que comparecem todos os tipos de construções, Infra-estruturas urbanas e formas naturais.
2. Enquadramento da Arquitectura do Espaço Público na História das formas significantes, socialmente inclusivas e sustentáveis.
3. Investigação experimental e elaboração própria praticadas com instrumentos e métodos disciplinares da arquitetctura (desenho manual /computador e modelo, sujeitos a medida, geometria e meios de construção); fotografia, bibliografia e outra iconografia correctamente licalizados e creditados.
4. Escolha de argumentos críticos para arquitectura do Espaço Público suportados pelo caso experimental desenvolvido.
5. O Caso de estudo será escolhido entre propostas apresentados pelo professor, como trabalho individual e/ou com a constituição de grupos.

História da Cidade do Porto

50131C5 - ECTS

Identificar e compreender o processo histórico de formação e consolidação física da cidade do Porto, entre tempos de fundação e de refundação urbana, integrados no contexto nacional e internacional.

Desenvolver uma metodologia de confronto histórico explicativo das diversas unidades urbanas que integram a cidade, entre o “saber ver” e o “saber compreender”, que se constitua como narrativa histórica e arquitectónica no confronto da cidade do Porto e de outras cidades europeias (explorando as origens dos alunos Erasmus).

Urbanística 2

400406 - ECTS

Pretende-se estimular o estudante para a compreensão dos mecanismos da produção de solo urbano nos seus aspectos técnicos, próprios do domínio conceptual do planeamento e para as diversas dimensões do debate teórico actualmente em desenvolvimento nos principais espaços de debate disciplinar.
Será dada especial atenção à relação entre instrumentos de planeamento e construção de consensos necessários para a sua implementação, tendo como referência a realidade portuguesa e procurando aferir a questão disciplinar aos meios jurídicos e materiais inerentes ao processo de planeamento.
Por fim será introduzida a questão da decisão enquanto capacidade de definir objectivos, enquadrar incertezas, estabelecer consensos e identificar formas urbanas.

Dissertação

500504 - ECTS Nos termos do artigo 20.º n.º 1 alínea b) do Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, relativo à estrutura do ciclo de estudos conducente ao grau de mestre, “o ciclo de estudos conducente ao grau de mestre integra uma dissertação de natureza científica ou um trabalho de projecto, originais e especialmente realizados para este fim, (…) consoante os objectivos específicos visados, nos termos que sejam fixados pelas respectivas normas regulamentares (…)”

A Unidade Curricular prevê a realização de um trabalho de investigação e desenvolvimento conducente à elaboração de uma dissertação de natureza científica. Deve envolver a análise de situações novas, a recolha de informação pertinente, o desenvolvimento e selecção ou concepção das metodologias de abordagem e dos instrumentos de resolução do problema proposto, a sua resolução, o exercício de síntese e elaboração de conclusões.

Por fim, a dissertação elaborada pelo estudante deve ficar sujeita a apresentação pública e a discussão dos resultados alcançados.

Projecto 5

500501 - ECTS

Dando continuidade ao programa, conteúdos e metodologia de ensino subjacentes à unidade curricular desenvolvida pelo Professor Manuel Fernandes de Sá, pretende-se promover um processo pedagógico que origine uma reflexão profunda sobre o território, a cidade, o objecto ou o conjunto arquitectónico considerando as respectivas interacções, de forma a proporcionar ao futuro arquitecto a capacidade de intervir num ambiente em transformação, pleno de diferenças e incertezas.

A unidade curricular Projecto 5 procura “proporcionar as condições que permitem o desenvolvimento de uma reflexão aprofundada sobre as questões da cidade e do território, discutindo métodos de abordagem e instrumentos de ordenamento; divulgando um raciocínio estratégico de intervenção; propondo formas de gestão da incerteza subjacente à intervenção na cidade; introduzindo a questão da pluridisciplinaridade e praticando o desenho da cidade e o controle da escala urbana” (Manuel Fernandes de Sá, 2003).

A Urbanização da Pobreza

50135C5 - ECTS

Neste momento, mais de metade da população mundial habita em áreas urbanas, sendo que cerca de um quarto desse número reside em condições de precariedade extrema e uma porção adicional enfrenta lacunas relevantes no seu habitat. As estimativas parecem apontar para que essa percentagem tenha diminuído, mas os números terão aumentado, sendo que a iniquidade de rendimentos económicos também se terá acentuado, em especial nas economias tidas como mais desenvolvidas.

Desta forma, o debate em torno da equidade constitui uma questão de escala global, dos países do Norte aos do Sul, sendo que a actuação no ambiente construído em prol de espaços mais equitativos e do acesso democrático aos recursos urbanos constitui, cada vez mais, um desafio para arquitectos e urbanistas.

Perante as mais recentes e contrastantes dinâmicas globais de urbanização, e os actuais desafios profissionais colocados a nível internacional, pretende-se com esta unidade curricular criar um campo de discussão teórica e prática em torno da espacialização da pobreza e das disparidades nesse processo de urbanização, das preocupações sociais no campo disciplinar da arquitectura e do urbanismo, assim como das limitações e potencialidades das políticas redistributivas, de interesse social e de gestão equitativa do ambiente construído.

Assim, propõe-se aqui o estudo das disparidades nos processos de produção e gestão do ambiente construído, nomeadamente discutindo a visibilidade e o papel das faixas populacionais de menores rendimentos económicos, tanto focando nos contextos não-ocidentais (nas experiências da América Latina, Ásia e África) como nas áreas críticas dos contextos ocidentais (na evolução das políticas de interesse social e na sua situação actual).

Pretende-se portanto estabelecer um entendimento alargado das questões relacionadas com o processo de urbanização, através não só da discussão de condições extremas de disparidades e/ou limitação de recursos, mas também de enquadramento em mecanismos de gestão de múltiplos actores. Nestes contextos, o exercício profissional do arquitecto/urbanista raramente é colocado apenas numa relação cliente – prestador de serviços, mas multiplicam-se antes os intervenientes no processo de decisão, englobando recorrentemente entidades tais como estruturas públicas de regulação do território e de interesse social (a nível central, municipal e/ou local), financiadores externos, agências internacionais, organizações não-governamentais, associações locais e/ou habitantes, colocando o arquitecto/urbanista no papel de mediador e facilitador.

Propõe-se assim a construção de um olhar informado sobre realidades paradoxais, discutindo metodologias e instrumentos de intervenção, constrangimentos e potencialidades, experiências e orientações estratégicas de trabalho em equipas alargadas.

Architectural Toys - Processos Complementares de Reprodução Disciplinar em Arquitectura

50128C5 - ECTS

O principal objectivo da unidade curricular Architectural toys - Processos complementares de reprodução disciplinar em Arquitectura é desenvolver junto dos alunos competências de compreensão e de concepção no âmbito da reprodução disciplinar da Arquitectura. Desde os processos educativos genéricos, até aos métodos de ensino universitários é pedido aos alunos que formulem uma abordagem histórica e crítica para compreender as diferentes formas que a disciplina encontrou, ao longo dos tempos, para permear a educação do sujeito, desde a infância até à vida adulta.

Arquitectura, circunstância e manifesto. Projecto, investigação, intervenção

50132C5 - ECTS

"Que diferença entre um pilar de pedra de um dólmen e uma coluna de cimento armado. Enquanto naquele tudo é natureza neste tudo é homem. Enquanto naquele a interferência do homem como ser pensante (e não propriamente como ser dotado de força motriz) é nula, esta é o resultado de um estudo e de um cálculo que representa um apogeu na história do homem".
(Fernando Távora)

Um projecto-de-arquitectura faz-se iluminação da coerência aventurosa que caracteriza a prática da arquitectura: projectação, investigação, escrita – palavra e desenho, experiência e jogo, voz e reparação.
Na perspectiva, visa-se: estudar e participar da evolução da arquitectura enquanto encontro controverso entre prática disciplinar e experiência artística – criação, pensamento, conhecimento.

Arquitectura do Espaço Público

50129C5 - ECTS

1 Abordagem teórico-prática ao Espaço Público como entidade arquitectónica em que comparecem todos os tipos de construções, Infra-estruturas urbanas e formas naturais.
2. Enquadramento da Arquitectura do Espaço Público na História das formas significantes, socialmente inclusivas e sustentáveis.
3. Investigação experimental e elaboração própria praticadas com instrumentos e métodos disciplinares da arquitetctura (desenho manual /computador e modelo, sujeitos a medida, geometria e meios de construção); fotografia, bibliografia e outra iconografia correctamente licalizados e creditados.
4. Escolha de argumentos críticos para arquitectura do Espaço Público suportados pelo caso experimental desenvolvido.
5. O Caso de estudo será escolhido entre propostas apresentados pelo professor, como trabalho individual e/ou com a constituição de grupos.

Arquitetura e Cinema

50137C5 - ECTS

A Unidade Curricular procurará sistematizar as afinidades em torno da arquitectura e do cinema. Será explorada a forma como o espaço arquitectónico e urbano, real ou encenado, é um elemento constituinte do cinema, assim como serão analisadas as múltiplas dimensões em que o cinema pode ser encarado como uma ferramenta no processo criativo, na percepção e na disseminação da arquitectura.

Será estudada a forma como as imagens em movimento têm a capacidade de criar um ‘sentido de lugar’, fenómeno relacionado não apenas com a realidade física dos espaços filmados, mas igualmente com a ligação vivencial que o espectador estabelece com a luz, o som, a mise-en-scène ou estrutura narrativa. O cinema representa os espaços arquitectónicos como lugares ‘habitados’, estimulando, assim, um debate intenso em torno da arquitectura e da vida urbana.

Arquitetura: Processos de transformação no ensino/aprendizagem

50138C5 - ECTS Objecto
Processos de transformação no ensino superior científico-artístico – Porto/Portugal: 1950/2016.

Enquadramento/Objectivos
Esta unidade curricular do MIARQ surge da necessidade de se aprofundar um campo de reflexão teórica sobre o binómio Arte/Ciência na equação ensino/aprendizagem de nível superior em Portugal.

Considerando os processos de investigação desenvolvidos pelos seus responsáveis no âmbito dos estudos conducentes à realização de tese de doutoramento e no contexto de um núcleo multidisciplinar e transdisciplinar estabelecido entre as Faculdades de Arquitectura, Belas Artes e Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto pretende-se ampliar o conhecimento científico produzido e, conjugando-o com as práticas pedagógicas e didácticas próprias de uma fase de conclusão de um segundo ciclo de estudos, constituir-se numa linha integrada de estudos interdisciplinares.

Decorrendo de uma necessidade objectiva de contribuir para a fixação da memória colectiva, a propósito da formação e consolidação da “Escola do Porto” e das instituições que, a partir dela, se formaram, considerando contextos nacionais e internacionais, as suas intersecções e interferências próprias e as que, especialmente após a implementação da “Reforma de 1957”, foram criando diferentes formas de afirmação na academia e na sociedade em geral, nos planos académico, profissional, social e político, revisitando o passado na medida das interrogações da contemporaneidade, julga poder ampliá-la pela informação e interpretação dos estudos que possam resultar do trabalho curricular.

Observando a actual oferta formativa no contexto da FAUP e da UP e as possíveis vantagens em combinar estudantes de diferentes formações de base para se construir conhecimento específico num registo interdisciplinar, pretende enriquecer os seus currículos possibilitando-lhes a opção de desenvolver estudos especializados no plano dos últimos dois anos do MIARQ, orientar-lhes as opções conducentes à elaboração dos seus processos de tese ou projecto final e, abrindo-lhes perspectivas na área disciplinar da Arquitectura e das transversalidades com áreas que lhe são afim, motivá-los para a frequência de cursos de 3º ciclo ou para a carreira de investigação.

Por último, é objectivo desta UC contribuir para a compreensão da situação contemporânea a propósito do estudo, entendimento e interpretação dos processos de transformação no ensino superior científico-artístico em Portugal (1950/2016).

Comunicação, Fotografia e Multimédia

50118C5 - ECTS

Os objectivos gerais da disciplina são os de (1) desenvolver bases teóricas e práticas sobre a aplicação da fotografia como instrumento e suporte para a comunicação e representação da Arquitectura, Cidade e Território e (2) despertar a consciência dos alunos para o estudo e a aplicação de métodos de investigação qualitativos e quantitativos sobre o espaço público e sua representação e comunicação.
Num primeiro tempo os alunos são levados a analisar, questionar e problematizar o espaço público e a sua arquitectura, explorando o potencial da fotografia e da acessibilidade e interactividade na Internet para a comunicação e percepção desse espaço e das suas vivências. No fim do semestre, os alunos tomam conhecimento da existência de diversos métodos de investigação quantitativos e qualitativos que podem ser utilizados para aprofundar, mais tarde, o estudo realizado nesta disciplina.
O intuito é o de criar um portfolio na Web, constituído por imagens e texto,
que dê suporte a um conjunto de ideias capazes de formular uma posição, argumento ou história sobre uma determinada problemática do espaço que está a ser estudado.
Este portfolio pode ser utilizado, posteriormente, como base para um trabalho de conclusão do segundo ciclo do curso cujo tema deverá ser relacionado com Fotografia e Media digitais aplicados à investigação do espaço público. O trabalho de investigação individual do aluno terá, preferencialmente e sem prejuízo de outras orientações, o acompanhamento dos docentes responsáveis da disciplina de CFM.

Economia Urbana

50123C5 - ECTS

A disciplina de Economia Urbana pretende introduzir uma abordagem teórica de alguns temas recorrentes da análise urbana numa perspectiva que permita enquadrar as condicionantes colocadas pela estrutura económica da sociedade à intervenção na cidade e as questões que derivam da interacção do sistema urbano com o sistema económico.
O desenvolvimento dos temas escolhidos será subordinado à óptica proposta pela teoria económica, utilizando conceitos disciplinares que permitam definir as categorias económicas que se pretendem identificar como elementos de caracterização do processo de transformação urbana na sociedade contemporânea.

Estudos Críticos Álvaro Siza

50126C5 - ECTS

Estudar vários temas de Arquitectura e/ou Desenho Urbano a propósito da obra de Álvaro Siza, tentando fazer coincidir, numa perspectiva de I&D, o curso-opção semestral com possibilidade de construção de uma colecção de Publicações científicas, próprias da FAUP, que se constituirão num contributo da Faculdade para o progresso do conhecimento, com reflexos que ultrapassarão (ainda que o englobando) o grupo de alunos que se venha a inscrever na disciplina.


História da Cidade do Porto

50131C5 - ECTS

Identificar e compreender o processo histórico de formação e consolidação física da cidade do Porto, entre tempos de fundação e de refundação urbana, integrados no contexto nacional e internacional.

Desenvolver uma metodologia de confronto histórico explicativo das diversas unidades urbanas que integram a cidade, entre o “saber ver” e o “saber compreender”, que se constitua como narrativa histórica e arquitectónica no confronto da cidade do Porto e de outras cidades europeias (explorando as origens dos alunos Erasmus).

Instalações Urbanas

50120C5 - ECTS

Adquirir um conjunto de conhecimentos técnicos básicos relacionados com as infra-estruturas urbanas necessárias para a realização de uma intervenção no espaço urbano.

Desenvolver uma primeira abordagem à concepção e dimensionamento de arruamentos e praças em meio urbano, percebendo as dificuldades topográficas e de integração ambiental, paisagística e nos elementos do património construído.

 

Paisagismo

50122C5 - ECTS

Pretende-se que os alunos adquiram um número vasto de conceitos e fundamentos de trabalho relacionados com a arquitetura paisagista e o espaço exterior, quer numa perspetiva de projeto, descrevendo acções do homem sobre o território, quer numa perspectiva prospectiva que relaciona as acções projetadas com as alterações de funcionamento das paisagens e dos ecossistemas em que se inserem.

 

Pretende-se ainda desenvolver temáticas contemporâneas do desenho e sustentabilidade do espaço urbano bem como a crítica de projeto.

Património Arquitectónico

50134C5 - ECTS

Na área da reabilitação do património da arquitectura e da cidade, incluindo a herança do Movimento Moderno, é objectivo desta disciplina transmitir conhecimentos, estimular o debate e promover metodologias de análise e de pesquisa sobre práticas e teorias dominantes no âmbito das intervenções no património arquitectónico e urbano. Interessará, portanto, desenvolver investigação no sentido de se identificar e caracterizar o lugar do património arquitectónico na contemporaneidade.

 

 

 

Projecto BIM

50130C5 - ECTS

1. Promover, experimentar e desenvolver o conhecimento teórico-prático da metodologia BIM – building information modelling compreendendo os conceitos basilares da mesma, na realização do Projeto de Arquitectura entendida como um processo para a inovação, investigação, gestão e construção da Arquitectura.

2. Promover a investigação da Arquitectura através da elaboração e prática do projeto, simulando um contexto real de prática colaborativa e pluridisciplinar.

3. Reunir o conhecimento sobre a aplicação da metodologia BIM no contexto internacional nas diversas áreas da AEC (arquitectura, engenharia e construção) analisando experiências em contexto empresarial bem como casos práticos reais e avaliação das vantagens e desvantagens da aplicação da metodologia na produção de uma ideia de Arquitectura.

4. Nesta unidade curricular, o estudante deverá ser capaz de utilizar as ferramentas ao seu dispor (livre escolha de softwares e métodos de investigação) de modo a aplicar a metodologia BIM no desenvolvimento de um trabalho prático de projeto a realizar pelo aluno e num estudo de caso aplicado a uma construção existente.

Reabilitação de Edifícios

50119C5 - ECTS

São objectivos da UC: sensibilização para a necessidade de preservar e reabilitar o património edificado, alertando para as causas mais correntes de patologias associadas à incorreta definição de Projecto e deficiências de execução/uso e, por último, auxiliar no desenvolvimento de capacidades análise, diagnóstico e estabelecimentos de soluções de reabilitação.

Teoria 4

500505 - ECTS

 

- identificar padrões dominantes de urbanização, avançando com hipóteses explicativas dos processos que lhes deram origem;

 

- identificar factores de mudança e actores considerados estruturantes para a compreensão dos processos e para o desenho de estratégias de intervenção e regulação urbanísticas.

 

Arquitectura do Espaço Público

50129C5 - ECTS

1 Abordagem teórico-prática ao Espaço Público como entidade arquitectónica em que comparecem todos os tipos de construções, Infra-estruturas urbanas e formas naturais.
2. Enquadramento da Arquitectura do Espaço Público na História das formas significantes, socialmente inclusivas e sustentáveis.
3. Investigação experimental e elaboração própria praticadas com instrumentos e métodos disciplinares da arquitetctura (desenho manual /computador e modelo, sujeitos a medida, geometria e meios de construção); fotografia, bibliografia e outra iconografia correctamente licalizados e creditados.
4. Escolha de argumentos críticos para arquitectura do Espaço Público suportados pelo caso experimental desenvolvido.
5. O Caso de estudo será escolhido entre propostas apresentados pelo professor, como trabalho individual e/ou com a constituição de grupos.

História da Cidade do Porto

50131C5 - ECTS

Identificar e compreender o processo histórico de formação e consolidação física da cidade do Porto, entre tempos de fundação e de refundação urbana, integrados no contexto nacional e internacional.

Desenvolver uma metodologia de confronto histórico explicativo das diversas unidades urbanas que integram a cidade, entre o “saber ver” e o “saber compreender”, que se constitua como narrativa histórica e arquitectónica no confronto da cidade do Porto e de outras cidades europeias (explorando as origens dos alunos Erasmus).

Recomendar Página Voltar ao Topo
Copyright 1996-2018 © Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto  I Termos e Condições  I Acessibilidade  I Índice A-Z  I Livro de Visitas
Última actualização: 2012-12-06 I  Página gerada em: 2018-09-26 às 08:38:48